O Partido Trabalhista (PT) tem até esta terça-feira para apresentar um novo candidato à presidência do Brasil, mas volta a dar tudo para tentar que Lula da Silva possa continuar como candidato. Agora, recorreu ao Supremo Tribunal Federal para suspender o prazo limite para a substituição.

O objetivo é adiar o prazo por uma semana, ou seja, até ao próximo dia 17 de setembro, permitindo ao Supremo Tribunal Federal julgar o pedido para suspender a inelegibilidade do ex-presidente. Trocado por miúdos, o que o PT quer é ganhar tempo: com o adiamento do prazo para substituir Lula como candidato às presidenciais, abre-se espaço para que o Supremo decida o recurso mais importante: o que contraria a decisão do Tribunal Supremo eleitoral, que vetou o ex-presidente como candidato.

Este domingo, Lula da Silva escreveu uma carta aos militantes do partido, onde não é referida qualquer substituição na candidatura. No entanto, a imprensa brasileira diz que é possível que o PT avance o nome de Fernando Haddad já esta terça-feira, como o novo número um da candidatura, com Manuela D’Avila a assumir o lugar de vice-presidente.

O Tribunal Superior Eleitoral tinha decidido que Lula da Silva não se podia recandidatar à presidência do Brasil, por ter sido condenado em segunda instância e preso desde setembro no âmbito da Operação Lava Jato.