Futebol

FC Porto e Sporting encontram-se numa final mais de dez anos depois (e pela sétima vez desde outubro de 2017)

144

FC Porto e Sporting não jogavam uma final desde 2008/09 e vão defrontar-se pela sétima vez desde outubro de 2017. A história abona a favor dos leões mas os dragões querem o primeiro troféu na prova.

Entre Taça de Portugal, Taça da Liga e Campeonato, FC Porto e Sporting vão jogar sete vezes no espaço de 15 meses

TIAGO PETINGA/EPA

O FC Porto venceu o Benfica, o Sporting bateu o Sp. Braga: dragões e leões são os finalistas da edição 2018/19 da Taça da Liga e vão disputar o troféu no próximo sábado no Municipal da cidade dos arcebispos. Se a equipa de Marcel Keizer procura a revalidação do título, depois de o ter conquistado na época passada pela mão de Jorge Jesus, o conjunto orientado por Sérgio Conceição vai em busca da primeira vitória na terceira competição interna – nesta que é a terceira final que discute, depois de ser finalista vencido em 2010 e 2013. Aliás, esta é ainda a única prova que Pinto da Costa nunca ganhou. O estatuto de campeão de inverno vai ser decidido em Braga mas ficará em Lisboa ou no Porto, nesta que é a primeira final decidida entre as duas equipas desde a Supertaça de 2008/09, que terminou com uma vitória leonina por 2-0 com um bis de Yannick Djaló.

Ainda que esta seja a primeira vez que FC Porto e Sporting se encontram na final da Taça da Liga, este será o sétimo (!) jogo entre dragões e leões desde 1 de outubro de 2017: depois desse jogo para o Campeonato, que terminou sem golos em Alvalade, voltaram a defrontar-se na meia-final da edição anterior da Taça da Liga (24 de janeiro), na primeira mão da meia-final da edição anterior da Taça de Portugal (7 de fevereiro), novamente para o Campeonato (2 de março), na segunda mão da meia-final da Taça (18 de abril), há duas semanas para o Campeonato (12 de janeiro) e agora no próximo sábado. Ainda que Marcel Keizer só seja uma figura existente em dois destes sete jogos, os jogadores mais influentes de ambas as equipas permanecem de um lado e de outro – Marega e Brahimi, Bruno Fernandes e Dost – e o elevado nível de competitividade entre os dois clubes obrigará, com toda a certeza, a uma concentração e a um critério acima da média para ultrapassar adversários que já conhecem (ou devem conhecer) as dinâmicas e as movimentações contrárias de trás para a frente.

No jogo de há duas semanas em Alvalade, Sporting e FC Porto anularam-se mutuamente e Keizer surpreendeu Sérgio Conceição ao apresentar uma estratégia mais comedida e defensiva, com linhas mais recuadas e sem a vertigem que até aí tinha sido a imagem de marca do holandês. Nas duas partidas seguintes e na desta quarta-feira, contra o Sp. Braga, o Sporting esteve assim mesmo, num plano intermédio entre o futebol atacante a que o treinador não consegue resistir e uma solidez defensiva muito necessária para evitar os golos sofridos que deram derrotas em Tondela e em Guimarães. O FC Porto realizou uma boa exibição contra o Benfica apesar de agluns erros “anormais” e Conceição já delineou a conquista da Taça da Liga como um dos objetivos para a temporada, face à alta competitividade da Final Four: Maxi poderá voltar, Danilo também, Marega e Brahimi são sempre perigosos e Corona está num pico de forma inequívoco.

O vencedor da edição 2018/19 da Taça da Liga ficará decidido depois de um jogo entre duas equipas que se conhecem bem e que se encontraram sete vezes ao longo dos últimos 15 meses. Para o FC Porto, pode ser o segundo troféu de uma temporada que começou com o triunfo na Supertaça (embora relativo à temporada transata) e que cada vez mais coloca os dragões como candidatos ao bicampeonato; para o Sporting, pode ser a motivação necessária para uma segunda volta dura e onde ainda estão outras três competições em disputa. A história, essa, abona a favor dos leões: em oito finais decididas entre as duas equipas, de 1977 a 2009 e entre Taça de Portugal e Supertaça, o Sporting levou a melhor sobre o FC Porto em seis ocasiões.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)