Sporting de Braga

“Foi fraco enquanto jogador. Enquanto árbitro, é mesmo muito fraco”: Salvador explode na zona mista

576

António Salvador, presidente do Sp. Braga, passou pela zona mista e criticou duramente arbitragem de Manuel Oliveira (falando até da carreira que teve como jogador), falando ainda de... ex-árbitros.

António Salvador criticou de forma aberta a arbitragem de Manuel Oliveira, apontando vários lances na segunda parte

Paulo Cunha/LUSA

A Final Four da Taça da Liga está definitivamente marcada pela guerra aberta às arbitragens por parte das equipas que saem da prova nas meias-finais e, depois das duras críticas dos responsáveis do Benfica na véspera (sobretudo ao VAR), também o Sp. Braga reagiu de forma contundente após a derrota frente ao Sporting nas grandes penalidades. Primeiro com Abel, o treinador, na flash interview e na conferência; depois com António Salvador, o presidente, quando passou na zona mista.

“Gostava de falar do jogo e das bancadas mas houve uma arbitragem fraca, sem categoria nenhuma. Quando se anula um golo por uma falta como aquela, quando o VAR chama para vir analisar e o árbitro marca a falta, tenho de dizer que foi fraco. Foi fraco enquanto jogador e enquanto árbitro é mesmo muito fraco. Está a acabar carreira e não chegou a internacional”, começou por referir sobre a atuação de Manuel Oliveira, o árbitro da Associação de Futebol do Porto nomeado para esta noite.

“Aos 76′ há falta dentro da área para penálti sobre o Dyego mas ele não foi ver; aos 85′ há uma possível falta para o Sporting dentro da nossa área e esse ele foi ver,mas não teve coragem para marcar porque antes anulou um golo limpo, não marcou um penálti sobre o Dyego e não teve coragem para expulsar o Gudelj aos 55′. O Gudelj faz duas faltas para amarelo na mesma jogada e leva um amarelo. Um mais um é igual a um?”, detalhou sobre os lances onde o Sp. Braga se sentiu prejudicado.

“Perder nos penáltis acontece. Tenho de dar os parabéns ao Sporting mas o Sp. Braga foi a equipa que mais quis ganhar, que mais oportunidades teve. Quero deixar também uma palavra aos adeptos, que mereciam outro resultado”, salientou, antes de apontar baterias também ao antigo árbitro e atual comentador Pedro Henriques. “Vi um ex-árbitro a comentar na Sport TV a dizer que o lance do Dyego Sousa com o Acuña, aos 46 minutos, é falta. É um ex-árbitro que é avençado do Sporting. É preciso dizer as coisas como elas são. É inacreditável o que se passa no futebol português. Os comentadores vão dizer que o golo foi bem anulado, porque é falta antes. Espero que tenham a coragem de dizer a verdade”, apontou.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)