Sporting

Renan, o herói que sobreviveu à tradição das taças e colocou o Sporting na primeira final da temporada

556

Keizer optou por não trocar de guarda-redes na Taça da Liga e Renan correspondeu da melhor forma, ao defender três penáltis. O guardião brasileiro vai ser pai e partilhou essa notícia nos festejos.

Renan Ribeiro revelou durante os festejos – e depois na flash interview – que vai ser pai pela segunda vez

EPA

Precisou de esperar que o reforço entretanto emprestado Viviano deixasse de ser opção (por lesão inicialmente, a partir daí por opção) e que Salin tivesse algo que lhe pudesse custar a titularidade para chegar ao onze. Esperou pacientemente, de terceiro a segundo, de segundo a primeiro guarda-redes. Renan Ribeiro, guardião brasileiro contratado ao Estoril durante o mercado de verão, tem sido o dono das redes leoninas e esta quarta-feira valeu o apuramento para a final da Taça da Liga ao defender três remates na decisão por grandes penalidades. Além da vitória e do estatuto de herói que rapidamente que lhe foi atribuído, Renan atravessa ainda um período feliz a nível pessoal, já que vai ser pai pela segunda vez – tal como deixou claro nos festejos e depois confirmou na flash interview.

“Primeiramente quero agradecer a Deus, pela oportunidade por estar em campo. Parabéns também à minha esposa, pois descobri ontem que ela está grávida e vamos ter mais um filho. Trabalho muito treino após treino. Esta equipa merece tudo isto. Costumo dizer que trabalho com jogadores de alto nível e isso exige muito de mim. Os adeptos merecem. Vamos para a final e acredito que possamos voltar a fazer um bom jogo e sair com um bom resultado”, afirmou o guarda-redes brasileiro de 28 anos. Sobre os três penáltis que defendeu, Renan explicou que trabalha “forte para chegar na hora do jogo e estar tranquilo e aproveitar o momento”. “Trabalho muito sério. Quero dar os parabéns ao meu grupo”, acrescentou o guardião.

O bom desempenho do brasileiro também mereceu elogios de Marcel Keizer, que enalteceu o espírito coletivo que o conjunto leonino conseguiu mostrar. “O Renan defendeu quatro penáltis, não foi? Três, aliás, e outro no poste, sim… Muito bom, não? Esteve muito bem. A equipa hoje mostrou espírito coletivo, apesar de estarmos um pouco cansados foi esse espírito que fez o trabalho”, comentou o treinador holandês.

O guarda-redes brasileiro confidenciou ainda um momento de maior cumplicidade com Marafona, guarda-redes do Sp. Braga que também defendeu dois penáltis no jogo desta quarta-feira. “Íamos batendo palmas e dizíamos que hoje estava complicado. Não ia ser fácil eles fazerem golo na gente. Parabéns também para ele, também fez boas defesas”, atirou Renan. O brasileiro ex-Estoril manteve-se no onze de Keizer numa competição onde a baliza costuma sofrer alterações e agradeceu a aposta ao evitar o golo de Wilson Eduardo ainda na primeira parte e defender três grandes penalidades que colocaram o Sporting na final da Taça da Liga que será discutida com o FC Porto.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mfernandes@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)