mundo

Secções

Descobrir

Seguir

Sobre

©2019 Observador
Moçambique

Saiba como ajudar as vítimas do ciclone em Moçambique

Há várias organizações que estão a recolher fundos e bens para ajudar as vítimas do ciclone Idai, que matou pelo menos 242 pessoas em Moçambique e que afetou milhões de pessoas. Saiba como ajudar.

Partilhe

O ciclone Idai já fez pelo menos 242 mortos em Moçambique e afetou milhões de pessoas

AFP/Getty Images

Pelo menos 242 pessoas morreram na sequência da passagem do ciclone Idai por Moçambique esta semana. Naquele país de expressão portuguesa, de acordo com as últimas estatísticas conhecidas, há ainda 15 mil pessoas à espera de ser resgatadas. E há milhões de pessoas afetadas de várias formas — desalojadas, feridas, sem local de trabalho, sem bens materiais nem acesso a cuidados de saúde.

A partir de Portugal, há várias formas de ajudar no apoio humanitário aos moçambicanos. A melhor opção é sempre a de recorrer aos canais oficiais já implementados por várias organizações credíveis. Saiba aqui algumas das opções:

Cruz Vermelha: recolha de fundos

A Cruz Vermelha Portuguesa anunciou na página oficial uma recolha de fundos em cooperação com as várias delegações da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho em todo o mundo. Esta iniciativa mundial pretende angariar cerca de 8,8 milhões de euros para apoiar 75 mil das pessoas mais afetadas no centro de Moçambique.

Pode ajudar através de transferência para o IBAN: PT50 0010 0000 3631 9110 0017 4. Também pode recorrer ao Multibanco e fazer um contributo através da opção de pagamento de serviços e usar a entidade 20 999, com a referência 999 999 999. Pode ainda fazer o donativo online nesta página.

UNICEF: donativos podem ser por MBWay

A UNICEF lançou uma campanha para ajudar cerca de 260 mil crianças moçambicanas que foram afetadas por este ciclone. Pode fazer o donativo através da página que a instituição criou para este efeito. Através do Facebook, a UNICEF acrescenta ainda meios alternativos para fazer donativos:

Cáritas Portuguesa: transferências bancárias

A Cáritas Portuguesa está em contacto com a Cáritas de Moçambique e está neste momento a destinar o seu fundo de emergências internacional para o apoio monetário às dioceses moçambicanas — neste caso o apoio chega através da Igreja Católica. Os contributos para o fundo internacional da Cáritas podem ser feitos através de transferência bancária para o seguinte IBAN: PT50 0033 0000 01090040150 12.

Oikos (organização não-governamental)_ transferências bancárias

A Oikos — Cooperação e Desenvolvimento tem neste momento elementos a operar em Moçambique e estão a contactar com missionários locais para identificar situações prioritárias. Esta ONG está a recolher fundos através de transferências bancárias para o seguinte IBAN: PT50 0036 0265 9910 0013225 29.

Câmara Municipal de Lisboa: alimentos, produtos de higiene e limpeza

Além de ter enviado uma contribuição monetária de 150 mil euros para apoiar as autoridades moçambicanas, a Câmara Municipal de Lisboa está também a promover a recolha de géneros alimentares e outros bens prioritários, nomeadamente: medicamentos, essencialmente, para infeções gastrointestinais e analgésicos, produtos alimentares enlatados com período de validade prolongado, produtos para o tratamento de água e produtos de higiene pessoal e limpeza de instalações. Os donativos poderão ser entregues nos seguintes quartéis do Regimento de Sapadores Bombeiros:

Sporting e Benfica: produtos alimentares

A 3 de abril, a pretexto do dérbi entre o Sporting e o Benfica para a Taça de Portugal, a Fundação Sporting vai promover uma recolha de alimentos para enviar para Moçambique. A recolha de alimentos já começou e quem estiver interessado pode entregar os seus donativos no Multidesportivo, na Fundação Sporting. A recolha está a ser feita em parceria com a Cruz Vermelha. Mais informações podem ser consultadas aqui.

Também o Benfica está a promover uma recolha de alimentos a nível nacional, tirando partido da rede das Casas do Benfica. Os interessados em ajudar por esta via podem entregar alimentos enlatados na Casa do Benfica mais próxima ou no estádio do clube, em Lisboa. Os alimentos vão ser enviados através de contentores fretados pela Fundação Benfica.

CTT — Correios de Portugal: roupas pelo correio

Os Correios de Portugal juntaram-se aos Correios de Moçambique e vão arrancar, na próxima segunda-feira, com uma campanha de envio de ajuda humanitária — nomeadamente de roupas — para apoiar os moçambicanos que perderam os seus pertences com resultado do ciclone. Todas as informações estão explicadas nesta página.

O funcionamento é simples: quem quiser enviar para Moçambique roupas que tenha e que queira oferecer a quem mais precisa, pode deslocar-se a qualquer uma das 538 lojas dos correios que existem em todo o país e pedir uma embalagem solidária, na qual podem colocar as roupas e enviá-las de forma gratuita. Os Correios de Moçambique vão receber os donativos e encaminhá-los de acordo com as necessidades. A campanha decorre entre 25 de março e 8 de abril.

[“Pedem o triplo por um helicóptero”. ONG denuncia aproveitamento da tragédia em Moçambique]