Copa América

Tite admite Militão e Telles na corrida a lugar no Brasil para Copa América

O selecionador do Brasil, Tite, assumiu hoje a fase de "renovação", na qual os portistas Éder Militão e Alex Telles têm a oportunidade de conquistar um espaço para a próxima Copa América.

JOSE COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O selecionador de futebol do Brasil, Tite, assumiu hoje a fase de “renovação” da ”canarinha”, na qual os portistas Éder Militão e Alex Telles têm a oportunidade de conquistar um espaço para a próxima Copa América.

“Na sua titularidade (sábado frente ao Panamá) tem peso o local (Estádio do Dragão) do jogo. Terem uma oportunidade onde estão habituados, ambientados”, justificou Tite, referindo-se ao primeiro dos dois particulares do Brasil, que na terça-feira defronta a República Checa em Praga.

As seleções defrontam-se no sábado, às 17:00, no Estádio do Dragão, em particular que será arbitrado pelo português João Pinheiro e que deverá marcar a estreia de Alex Telles na seleção, tornando-se no 60.º atleta utilizado por Tite em 33 desafios.

“O momento agora é dar tranquilidade ao Alex Telles, confiança, que jogue muito. E ao Militão naturalidade para jogar o seu melhor futebol”, reforçou.

A timidez de Éder Militão, que por 50 milhões de euros vai competir na próxima época no real Madrid, foi desvalorizada, com o técnico a destacar a sua capacidade de se adaptar a diversos desafios, apesar da sua juventude.

“Realmente o Militão é fechado, mas já deu muito para notar diferença de uma convocatória para a outra. Está mais solto. Em campo, em pouco tempo, foi lateral-direito, jogou com dois defesas, com três, do lado esquerdo e sábado na direita. Domina fácil, solta-se dentro de campo…”, elogiou.

Uma das formas de adaptar mais rapidamente os jogadores à seleção é “valorizar a relação no ambiente interno”, pelo que no tempo em que o grupo está junto tem havido “muitas conversas (…) para que cada um abra o seu coração e conte a sua história”.

O selecionador referiu-se ainda ao guarda-redes Ederson, ex-Benfica, que vai jogar “num lugar onde já foi adversário”, e do qual espera “concentração” e que “coloque pressão nos outros atletas para que o nível da seleção se eleve”.

Nesta fase de testes, e na qual o Brasil joga sem o seu capitão, Neymar, a recuperar de lesão, Tite assume que tem de “reinventar a realidade”, revelando que tem feito “descobertas desafiadoras” neste processo de tornar o Brasil a seleção que pretende.

Uma das suas preocupações é “familiarizar o jogador com a realidade que tem no clube”, dando o exemplo do trio de médios, que alinham no mesmo sistema nas diferentes equipas que representam.

O técnico está empenhado em “melhorar a criatividade” a meio-campo, recuperar a “média de 2,2 golos por jogo, ter 60 por cento de posse de bola”, considerando este é o “perfil” do Brasil que pretende.

“É o modelo que gostamos para jogar. Retomar esse padrão de criatividade, o número de golos, sem perder consistência… nos últimos 32 jogos, em 25 não sofremos golos. Telles, Militão, Miranda, Ederson têm um legado para serem consistentes. Dentro dos números, desafiar e acrescentar”, resumiu.

Na terça-feira a ”canarinha” visita a República Checa em novo teste para a Copa América, que o Brasil organiza de 14 de junho a 7 de julho.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)