Rádio Observador

Copa América

Tite admite Militão e Telles na corrida a lugar no Brasil para Copa América

O selecionador do Brasil, Tite, assumiu hoje a fase de "renovação", na qual os portistas Éder Militão e Alex Telles têm a oportunidade de conquistar um espaço para a próxima Copa América.

JOSE COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O selecionador de futebol do Brasil, Tite, assumiu hoje a fase de “renovação” da ”canarinha”, na qual os portistas Éder Militão e Alex Telles têm a oportunidade de conquistar um espaço para a próxima Copa América.

“Na sua titularidade (sábado frente ao Panamá) tem peso o local (Estádio do Dragão) do jogo. Terem uma oportunidade onde estão habituados, ambientados”, justificou Tite, referindo-se ao primeiro dos dois particulares do Brasil, que na terça-feira defronta a República Checa em Praga.

As seleções defrontam-se no sábado, às 17:00, no Estádio do Dragão, em particular que será arbitrado pelo português João Pinheiro e que deverá marcar a estreia de Alex Telles na seleção, tornando-se no 60.º atleta utilizado por Tite em 33 desafios.

“O momento agora é dar tranquilidade ao Alex Telles, confiança, que jogue muito. E ao Militão naturalidade para jogar o seu melhor futebol”, reforçou.

A timidez de Éder Militão, que por 50 milhões de euros vai competir na próxima época no real Madrid, foi desvalorizada, com o técnico a destacar a sua capacidade de se adaptar a diversos desafios, apesar da sua juventude.

“Realmente o Militão é fechado, mas já deu muito para notar diferença de uma convocatória para a outra. Está mais solto. Em campo, em pouco tempo, foi lateral-direito, jogou com dois defesas, com três, do lado esquerdo e sábado na direita. Domina fácil, solta-se dentro de campo…”, elogiou.

Uma das formas de adaptar mais rapidamente os jogadores à seleção é “valorizar a relação no ambiente interno”, pelo que no tempo em que o grupo está junto tem havido “muitas conversas (…) para que cada um abra o seu coração e conte a sua história”.

O selecionador referiu-se ainda ao guarda-redes Ederson, ex-Benfica, que vai jogar “num lugar onde já foi adversário”, e do qual espera “concentração” e que “coloque pressão nos outros atletas para que o nível da seleção se eleve”.

Nesta fase de testes, e na qual o Brasil joga sem o seu capitão, Neymar, a recuperar de lesão, Tite assume que tem de “reinventar a realidade”, revelando que tem feito “descobertas desafiadoras” neste processo de tornar o Brasil a seleção que pretende.

Uma das suas preocupações é “familiarizar o jogador com a realidade que tem no clube”, dando o exemplo do trio de médios, que alinham no mesmo sistema nas diferentes equipas que representam.

O técnico está empenhado em “melhorar a criatividade” a meio-campo, recuperar a “média de 2,2 golos por jogo, ter 60 por cento de posse de bola”, considerando este é o “perfil” do Brasil que pretende.

“É o modelo que gostamos para jogar. Retomar esse padrão de criatividade, o número de golos, sem perder consistência… nos últimos 32 jogos, em 25 não sofremos golos. Telles, Militão, Miranda, Ederson têm um legado para serem consistentes. Dentro dos números, desafiar e acrescentar”, resumiu.

Na terça-feira a ”canarinha” visita a República Checa em novo teste para a Copa América, que o Brasil organiza de 14 de junho a 7 de julho.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)