O lutador irlandês Conor McGregor, antigo campeão de leves e pluma do Ultimate Fight Championship (UFC), anunciou esta terça-feira que vai abandonar as artes marciais mistas (MMA), sem especificar os motivos para a retirada.

Um rápido anúncio. Decidi retirar-me do desporto, formalmente conhecido como artes marciais mistas. Desejo felicidades a todos os meus antigos companheiros que prosseguem na competição. Agora, vou juntar-me aos lutadores que já estão nesta aventura da reforma”, escreveu o atleta, numa mensagem publicada nas redes sociais.

O anúncio surgiu algumas horas depois de McGregor ter admitido que estava em negociações para tentar regressar à competição em julho.

McGregor, de 30 anos, popularmente conhecido como ‘The Notorious’, é um dos lutadores mais famosos da MMA, mas não vence desde novembro de 2016, quando derrotou Eddie Alvarez e se tornou o primeiro membro do UFC a deter dois cinturões de categorias diferentes em simultâneo.

No ano seguinte, o irlandês perdeu o único combate que fez frente ao pugilista norte-americano Floyd Mayweather, antes de regressar pela última vez ao UFC, em outubro de 2018, após uma paragem de cerca de dois anos, tendo sido superado pelo russo Khabib Nurmagomedov.

Após o combate, McGregor envolveu-se em confrontos com a comitiva do adversário, que resultaram numa suspensão da competição por seis meses e numa multa de 50 mil dólares (cerca de 44 mil euros).

Conhecido pelo temperamento por vezes difícil fora dos octógonos, o atleta foi detido este mês em Miami, no estado norte-americano da Florida, por, alegadamente, ter roubado e destruído o telemóvel de um adepto que lhe queria tirar uma fotografia.