“O Salvador está estável, com boa evolução e já sem necessidade de ventilação mecânica invasiva.” A informação foi avançada esta sexta-feira em comunicado assinado pelo conselho de administração do Centro Hospitalar e Universitário de São João, no Porto. O bebé nasceu esta quinta-feira, com 31 semanas e 6 dias de gestação, às 4h32. Salvador pesa 1,7 quilos, um peso bom para bebé prematuro, segundo os médicos, e mede 40 centímetros.

Segundo apurou o Observador junto da equipa médica que acompanha o bebé, Salvador ainda está com um suporte ventilatório nasal, mas já não necessita de ajuda invasiva para respirar, tendo já sido retirados os tubos que faziam o suporte mecânico. De acordo com os médicos, o bebé está a evoluir muito bem e tem sido sempre acompanhado pelo pai no serviço de neonatologia do Hospital de São João.

Catarina Sequeira, a jovem canoísta de 26 anos, mãe de Salvador, natural de Crestuma, em Vila Nova de Gaia, foi mantida viva para que o filho pudesse nascer. O parto estava programado para esta sexta-feira, na data das 32 semanas de gravidez, mas complicações respiratórias anteciparam a cesariana. Os problemas começaram quando, na quarta-feira, Catarina Sequeira teve um “agravamento na parte pulmonar”, como explicou Teresa Honrado, diretora do serviço de Medicina Intensiva do Hospital de São João.

Quando nasceu, a criança também apresentava grandes dificuldades respiratórias e precisou de suporte ventilatório.

Segundo a equipa médica de neonatologia que está a acompanhar Salvador, se tudo correr bem o bebé poderá ter alta dentro de três semanas a um mês. Apesar das circunstâncias do parto, Salvador é considerado um prematuro normal para a sua idade gestacional.

O funeral de Catarina Sequeira realiza-se nesta sexta-feira, às 14h30.