O Porto e Guimarães vão receber a primeira edição da fase final da Liga das Nações, a nova competição da UEFA. A cerimónia de apresentação da competição decorreu esta sexta-feira na Câmara do Porto. Numa competição que se inicia com os encontros das meias-finais, Portugal defronta a Suíça a 5 de junho no Estádio do Dragão (19h45), no Porto, e a Inglaterra terá pela frente a Holanda, a 6 de junho, no estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães (19h45). A final está agendada para o dia 9 de junho no recinto portuense (19h45) e o jogo do terceiro lugar está marcado a mesma data no recinto vimaranense (14h).

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, está convicto de que este será mais um motivo para o futebol “honrar o país”. O líder federativo enalteceu que “a experiência e a paixão pelo futebol” foram decisivas para que a candidatura portuguesa fosse escolhida como vencedora para organizar a Liga das Nações, já que “Portugal tem demonstrado a sua enorme capacidade para receber grandes eventos desportivos europeus”.

Fernando Gomes considera que “estão criadas as condições perfeitas para mais uma grande festa do futebol” entre as cidades do Porto e de Guimarães, e este será mais “capítulo inesquecível na historia do futebol europeu”, convidando os adeptos de futebol a se apressarem para garantir os bilhetes para “quatro jogos repletos de talento e emoção”.

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira destacou a visão que Fernando Gomes e a Federação Portuguesa de Futebol tiveram na organização da Liga das Nações. O autarca enfatizou também o apoio da UEFA para concretizar o projeto, mas principalmente, de dois grandes clubes: o FC Porto e o Vitória de Guimarães, que vão ceder os seus estádios para acolher a competição europeia.

Rui Moreira não deixou de enaltecer o facto de além de Portugal, as outras três “grandes nações” do futebol europeu, como a Inglaterra, a Holanda e a Suíça contribuírem para atrair ainda mais visitantes às cidades do Porto e de Guimarães. Contudo, nem só de adeptos estrangeiros irá viver a Liga das Nações, já que segundo Rui Moreira, este “não é um evento para inglês ver, é para português, portuense e vimaranense, inglês, holandês e suíço, ver e também viver”.

Além do Porto, também Guimarães tem já “pergaminhos nos grandes eventos desportivos, como o Euro 2004”, assim defendeu o autarca vimaranense, Domingos Bragança, que enalteceu o contributo do Vitória SC para a organização da primeira edição da fase final da Liga das Nações, que está convencido de que será “um sucesso”.

O presidente da Câmara de Guimarães destaca que a cidade “vive sempre com emoção e intensidade o desporto, e por isso, sabe acolher todos os adeptos, e valoriza estas competições de alto nível”. Domingos Bragança tem uma esperança adicional, a de que Portugal não se desloque à cidade berço, até porque isso significaria a disputa do encontro do terceiro lugar, e não a presença na final da final four da Liga das Nações, no Estádio do Dragão.

É a primeira vez que não desejo que Portugal esteja no sábado, no dia 9 de junho, em Guimarães.”, disse Domingos Bragança.

Na mesma linha do presidente da Câmara de Guimarães, Rui Moreira corroborou que “nos gostaríamos de ter aqui os dois jogos de Portugal e o Domingos já disse que não se importa muito que assim seja mas o que é importante é que as coisas corram bem e que as pessoas se sintam bem acolhidas, que a população do Porto também compreenda que estes eventos são muito importantes”. O autarca portuense apelou à participação da população na compra de bilhetes para encher os estádios — “esse é o meu papel, não vou jogar”, rematou Rui Moreira.

Para a cidade do Porto, a Liga das Nações é encarada como um ensaio para o acolhimento da Supertaça Europeia em agosto de 2020, já anunciado pela UEFA.

Portugal com o estatuto de campeão europeu a jogar em casa depois de uma prestação tímida no Mundial

Portugal chega à nova competição da UEFA com o estatuto de campeão europeu em título, mas isso não é sinal de favoritismo para Fernando Gomes. De relembrar que, antes da qualificação para esta Liga das Nações, a seleção portuguesa de futebol terminou o Mundial de 2018, na Rússia, no 13.º lugar, depois de ter sido eliminada nos oitavos de final pelo Uruguai.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da FPF, garantiu que numa competição destas “a responsabilidade está lá sempre, seja campeão europeu ou não. Portugal pelo seu passado e pela sua qualidade, não pode deixar de ter essa responsabilidade de tudo fazer para conquistar” esta Liga das Nações. Ainda assim, o objetivo de vencer é evidente, apesar de esta ser uma “tarefa difícil”, primeiro perante a Suíça, e depois, se a seleção orientada por Fernando Santos passar à final, perante a Inglaterra ou a Holanda. O desejo é sempre o de ganhar o troféu.

Para o líder federativo, esta Liga das Nações tem ainda “um sabor especial, porque estivemos muito envolvidos na criação deste conceito”. Ganhar seria por isso, “um prémio acrescido não só por termos estado na origem deste conceito” mas porque “seria para Portugal um feito fantástico”.

Vítor Baía é o embaixador da Federação Portuguesa de Futebol para a Liga das Nações e vai representar o organismo federativo em dois palcos que muito lhe dizem. No Porto, escusado será dizer, que foi a cidade onde passou a maior parte da sua carreira como guarda-redes, em Guimarães, onde se estreou pelo FC Porto, a 11 de setembro de 1988, frente ao Vitória SC.

Questionado pelos jornalistas sobre a lista de guarda-redes que convocaria para a Liga das Nações, Baía entregou a escolha a Fernando Santos: “Convocava todos. Isso é com o nosso engenheiro”.

Estou certo de que irá ser um grande sucesso a todos os níveis, tanto na cidade do Porto, como na cidade de Guimarães, e claro, queremos a cereja no topo do bolo, que é ver Portugal como o primeiro vencedor desta competição”.

Já sobre aquela que será a prestação portuguesa na Liga das Nações, o antigo guardião portista e da seleção nacional deixa claro o objetivo de que “o êxito desportivo esteja associado àquilo que será, sem dúvida alguma, uma organização de excelência”. Para Vítor Baía, o sucesso do evento desportivo está garantido mas o favoritismo está repartido, apesar de a balança pesar “um pouco mais para Portugal porque jogamos em casa, no nosso ambiente. A assistência está dividida, mas não deixa de ser o nosso local, a nossa pátria”.

Tal como Fernando Gomes, para o embaixador da FPF, a seleção nacional “tem uma responsabilidade extra, mas é uma responsabilidade positiva que irá sem dúvida alguma motivar os nossos jogadores e o nosso treinador para que possamos vencer esta competição”.

Quatro seleções em dois palcos

A fase final da Liga das Nações vai ser disputada entre os quatro vencedores dos grupos da Liga A. Os jogos vão decorrer no Estádio do Dragão, no Porto, e no Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães entre os dias 5 e 9 de junho.

A competição inicia-se com os encontros das meias-finais. Portugal defronta a Suíça a 5 de junho no recinto portuense (19h45), e a Inglaterra terá pela frente a Holanda, a 6 de junho, no estádio vimaranense (19h45). A final está agendada para o dia 9 de junho no Dragão (19,h45) e o jogo do terceiro lugar está marcado a mesma data em Guimarães (14h).

Segundo o diretor de Competições e Eventos da Federação Portuguesa de Futebol, Carlos Lucas, as quatro seleções envolvidas já estiveram em Portugal e “estão extremamente contentes com as condições” criadas para o acolhimento da fase final da Liga das Nações, num trabalho conjunto que começou em dezembro do ano passado.

Além do troféu respetivo à conquista desta nova competição da UEFA, o vencedor da Liga das Nações tem garantido um prémio de 10,5 milhões de euros. À partida, os quatro finalistas têm já como certo o recebimento de 4,5 milhões de euros, que resultam de um valor de solidariedade de 2,5 milhões para todas as equipas da Liga A, e de 2,5 milhões como bónus pela vitória num grupo da Liga A.

Os adeptos já podem adquirir os bilhetes para a Liga das Nações

Os bilhetes para a “final four” da Liga das Nações já estão disponíveis, e segundo Carlos Lucas, “a venda está a correr bem”, sendo feita por ordem de compra no site da UEFA, não havendo lugar a qualquer tipo de sorteio.

O valor para os jogos das meias-finais e para o jogo de atribuição do terceiro lugar varia entre 25 euros para a categoria 3 (lugares atrás das balizas) e 120 euros para a categoria 1 (bancadas centrais), sendo que a categoria 2 inclui os lugares nos cantos dos estádios e nos topos superiores laterais. Já para a final, o custo dos bilhetes oscila entre 40 euros para a categoria 3 e 150 euros para a categoria 1. Cada adepto pode comprar apenas 4 bilhetes.

Existem ainda opções de hospitalidade, com valores a variar entre os 480 e os 760 euros, assim como bilhetes para adeptos portadores de deficiência, sendo que o preço para estes lugares é o de categoria 3 e inclui entrada gratuita para o acompanhante. A UEFA também informa através de comunicado que ainda se encontram disponíveis bilhetes para todas as categorias em todos os jogos, à exceção da categoria 3 no jogo da final.

A Liga das Nações introduz, ainda, uma nova modalidade de bilhetes, chamados os UEFA Super Sunday. Estes ingressos permitem  o acesso à final ou ao jogo de atribuição do terceiro lugar, dependendo de onde a seleção dos adeptos jogar. Por exemplo, no caso de Portugal: se a Seleção Nacional chegar à final e um adepto português escolher um bilhete para o Super Sunday, irá receber um bilhete para a final. Se Portugal perder a meia-final, esse mesmo adepto terá direito a assistir ao jogo de atribuição do terceiro lugar.

Explica a UEFA que esta opção “oferece aos adeptos a oportunidade de poupar, dado que o bilhete tem o preço do jogo de atribuição de terceiro lugar, ou seja, se o adepto escolher um bilhete do Super Sunday e a sua equipa chegar à final, terá o ingresso a um preço inferior do que se tivesse comprado separadamente uma entrada para a final”. Os preços dos bilhetes Super Sunday são de 120 euros para a categoria 1, 65 euros para a categoria 2 e 30 euros para a categoria 3 e estão disponíveis para Portugal, Suíça e Holanda, mas para Inglaterra estão esgotados.

“Fan Meeting Points” da Liga das Nações

Porto

Os adeptos de Portugal vão ter duas fan zones: na Avenida dos Aliados, no coração da cidade do Porto, e na Praça Velásquez junto ao Estádio do Dragão. Já os suíços, que enfrentarão a seleção nacional na primeira meia-final da Liga das Nações, estarão concentrados na Alfândega do Porto e no Parque dos STCP da Bonjóia.

Guimarães

Na meia-final que vai opor a Inglaterra e a Holanda, os adeptos terão duas fan zones na cidade berço: os ingleses ficarão concentrados no Multiusos de Guimarães e os holandeses no Parque da Cidade.