A cinco dias das eleições gerais em Espanha, o Podemos, partido de Pablo Iglesias, viu a sua conta de Whatsapp ser bloqueada. Segundo um porta-voz da empresa, que confirmou o sucedido, o Podemos violou as regras e condições do serviço de mensagens instantâneas. A notícia é avançada pelo diário digital espanhol eldiario.es.

“Aplicamos os mesmos standards para todos os utilizadores de Whatsapp a nível mundial. As nossas regras de serviço são explícitas e não permitem o envio em massa de mensagens ou o uso de programas de terceiros para automatizar o serviço de mensagens”, esclareceu um porta-voz do Whatsapp ao eldiario.es.

Do lado do Podemos, esta justificação não foi aceite. “A nossa equipa cumpriu com os trâmites previstos nas condições de uso da aplicação WhatsApp”, retorquiu Juan Manuel del Olmo, secretário de Comunicação do partido, que fez a denúncia da situação no Twitter.

Na mesma rede social, Olmo questiona por que motivo apenas a conta do Podemos foi bloqueada quando outros partidos espanhóis usam o serviço de mensagens da mesma forma. E usou como exemplo uma mensagem enviada pelo PSOE.

“Temos o consentimento expresso de cada um dos utilizadores para que lhes enviemos informação”, acrescentou Olmo. Segundo o eldiario.es, a conta de Whatsapp do Podemos tinha 60 mil inscritos.

As eleições em Espanha decorrem este domingo e todas as sondagens dão vitória, mas não maioria absoluta, ao PSOE de Pedro Sánchez.