O estónio Ott Tanak (Toyota Yaris) lidera o rali do Chile, sexta prova da temporada, no final do primeiro de três dias de competição, com 22,4 segundos de vantagem para o francês Sébastien Ogier (Citroën C3).

Tanak, terceiro classificado do campeonato após seis jornadas disputadas, com 82 pontos, a 28 do belga Thierry Neuville (Hyundai i20), venceu três das seis disputadas ao longo deste primeiro dia da prova, que se estreia no calendário, terminando com o tempo de 1:24.12,4 horas.

“Na pausa de almoço, os engenheiros fizeram um bom trabalho a afinarem o carro. A confiança aumentou”, explicou o piloto da Toyota, que saltou para a liderança à segunda especial, depois de ter cometido um erro na primeira e ter deixado calar o motor do seu carro.

Esta segunda especial do dia, em El Puma, com 30,72 quilómetros, ficou marcada por um erro de um comissário, que deu a partida a Neuville demasiado cedo, levando à amostragem de bandeiras vermelhas que interromperam a prova do líder do campeonato.

O belga viu ser-lhe atribuído um tempo por extrapolação, 6,6 segundos mais lento do que Tanak.

“Não entendo esta diferença, se na primeira contagem dessa especial eu estava a ser 1,3 segundos mais rápidos do que ele [Tanak]”, queixou-se Neuville, que venceria o troço seguinte.

No entanto, o tempo perdido durante a tarde colocou-o na quarta posição, a 29,5 segundos do líder e atrás de Ogier e do finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota Yaris).

Os pilotos queixaram-se, ainda, da falta de precisão das notas, pois o reconhecimento dos troços foi feito com nevoeiro.

Este sábado disputam-se seis especiais, num total de 121,16 quilómetros.