As crianças portuguesas consomem quatro vezes mais proteína do que deviam, alerta a Direção-Geral da Saúde (DGS) numa campanha a propósito do dia mundial da obesidade noticiada esta sexta-feira pelo jornal Público.

A DGS vai lançar, ao longo do dia, uma série de mensagens nas redes sociais com informações sobre os hábitos alimentares dos portugueses: além de as crianças entre os 1 e 6 anos de idade consumiram o quádruplo da proteína que é recomendada, uma em cada três crianças tem excesso de peso.

Segundo explicou àquele jornal a diretora do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, Maria João Gregório, a carne e os lacticínios são responsáveis por cerca de 60% das proteínas ingeridas pelas crianças, que comem estes alimentos em quantidades semelhantes às dos adultos — enquanto devem consumir porções mais pequenas.

A mesma especialista sublinha que não é verdade o lugar-comum de que as crianças precisam de mais alimento e detalhou que os menores de 6 anos devem comer, no máximo, duas porções de 25 gramas de carne ou peixe por dia.

O Público revela ainda outros dados que vão fazer parte desta campanha da DGS: 52% das crianças entre os 3 e os 6 anos consomem todos os dias bebidas açucaradas; 10% das crianças entre 1 e 3 anos comem sobremesas doces todos os dias; todas as crianças até aos 6 anos consomem mais sal do que deviam; porém, 55% das crianças entre os 3 e os 6 anos não consomem a porção de hortícolas que deviam.

Portugal encontra-se acima da média quer da União Europeia quer da OCDE no que toca à obesidade infantil, com 22% das crianças e jovens dos 5 aos 19 anos a serem pré-obesos e 10,4% a serem obesos.