“Sim, é verdade. Sou candidato à presidência do FC Porto”. Questionado no programa “Trio de Ataque” da RTP3, José Fernando Rio, jurista e comentador do Porto Canal, assumiu que será alternativa à liderança de quase quatro décadas de Pinto da Costa, numa informação que circulou na última semana já depois de João Rafael Koehler ter surgido também como possibilidade para encabeçar um movimento ao próximo sufrágio dos dragões.

Koehler é “portista, sócio, adepto, acionista, investidor” e não candidato (para já). “Mas acho saudável mais do que uma lista”, diz

“Candidato-me porque o FC Porto precisa de uma mudança na liderança, penso que está óbvio para toda a gente, uma mudança de página que nos permita modernizar o clube e levá-lo de forma saudável para o futuro. Tenho comigo uma equipa fantástica de sócios, tenho um programa ambicioso e detalhado”, explicou José Fernando Rio, que explicou ainda que irá formalizar essa candidatura no decorrer da próxima semana. “Amanhã [segunda-feira] escusam de falar comigo porque é dia sagrado, joga o FC Porto”, acrescentou.

“Não é uma questão de audácia, é uma questão de portismo. O FC Porto precisa de ser discutido, de ideias novas, de pessoas novas. Nem tudo o que está para trás foi mal feito ou está mal feito mas nos últimos anos as coisas agudizaram-se, nos últimos tempos. É pelo FC Porto e não contra ninguém que me candidato. É por um FC Porto de contas saudáveis, com ambição desportiva, com competitividade desportiva e que possa ter condições para ser cada vez melhor, que possa ter condições para voltar à hegemonia do futebol português, às finais internacionais. E que possa ter contas certas para chegar a esses objetivos”, explicou José Fernando Rio.

“Há uma perda de competitividade do FC Porto que se traduz nas contas e se passa para a própria face desportiva, a visão desportista do clube. São indícios visíveis há algum tempo mas que se agudizaram. Pelo FC Porto é preciso discutir-se o futuro, é preciso tratar-se do presente. É preciso apresentar alternativas, não se pode ficar em casa, é preciso também dar a cara pelo FC Porto”, completou na primeira intervenção que teve no programa.

Licenciado em Direito pela Universidade Católica do Porto, o jurista é comentador do Porto Canal há mais de 15 anos, participando de forma frequente no “Universo Porto – Pré e Pós-Match”. José Fernando Rio tem ainda um blogue onde escreve uma crónica semana sobre “As 5 Conclusões Que Importa Retirar da Jornada da I Liga”.

As eleições do FC Porto estão marcadas para o próximo dia 18 de abril, entre as 10h e as 19h, na sede social do clube, com o prazo limite da entrega de listas a ser de 30 dias antes (19 de março). “As listas para a Mesa da Assembleia Geral, Direção e Conselho Fiscal e Disciplinar deverão ser unitárias, sendo necessário que integrem os nomes dos respetivos presidentes e sejam propostas por, pelo menos, 300 associados. Os nomes dos restantes elementos daqueles órgãos sociais devem ser indicados até 8 de abril, enquanto o Conselho Superior poderá ter listas autónomas, sendo os eleitos apurados segundo o método de Hondt”, explicou o clube. Presidente desde 1982, Pinto da Costa terá pela segunda vez um adversário depois de Martins Soares, médico e empresário do Porto que se apresentou a sufrágio por duas ocasiões em 1988 e 1991 contra o ainda hoje líder.