Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há dois dias, a NBA começou a tomar medidas a propósito do surto de coronavírus, entretanto catalogado pela Organização Mundial de Saúde como pandemia global. Entre outras medidas, acabaram os períodos abertos à comunicação social antes e depois dos encontros na zona dos balneários das equipas e as entrevistas passaram a ser feitas a uma distância mínima de dois metros. Nem todos aceitaram de bom grado a decisão.

LeBron James, uma das grandes estrelas da competição e atual referência dos Los Angeles Lakers, referiu numa primeira instância que não estaria disposto a jogar num pavilhão sem espetadores, destacando que alinhava para o público e que sem ele não nada faria sentido. Uns dias depois, abriu a perspetiva e admitiu pela primeira vez que iria cumprir qualquer que fosse a decisão. Depois houve também casos de jogadores que desvalorizam por gestos as medidas preventivas da organização. Um deles foi Rudy Gobert, dos Utah Jazz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Há dois dias, o poste francês de 27 anos esteve numa conferência de imprensa e terminou a tocar em todos os microfones e gravadores em cima da mesa antes de abandonar a sala. Esta madrugada, noite nos Estados Unidos, foi o primeiro jogador da competição a acusar positivo num primeiro teste preliminar ao coronavírus. E a NBA parou, num anúncio feito quando decorriam alguns encontros à mesma história.

Os Philadelphia Sixers jogavam com os Detroit Pistons, os Charlotte Hornets defrontavam os Miami Heat e os Atlanta Hawks já estavam em campo com os New York Knicks quando o encontro entre Oklahoma City Thunder e Utah Jazz deveria começar. Tudo normal durante o aquecimento, tudo a apontar para o início do jogo, tudo a sair para o balneário. E a não voltar: pouco mais de meia hora depois, o speaker do pavilhão anunciou nos microfones do recinto que a partida tinha sido suspensa por “circunstâncias imprevistas”. E nada mais.

Cerca de uma hora depois, num comunicado que já aí deveria estar a ser preparado, a NBA anunciou a suspensão de todos os encontros daqui para a frente sem data para reatamento. “A NBA anuncia que um jogador dos Utah Jazz deu positivo num primeiro teste preliminar para Covid-19. O resultado foi conhecido pouco antes do início do jogo entre Oklahoma City Thunder e Utah Jazz na Chesapeake Energy Arena. Nessa altura, o jogo foi suspenso e o jogador já não se encontrava no recinto. A NBA vai suspender todos os jogos depois desta jornada até haver mais notícias. A NBA vai aproveitar este hiato para estudar os próximos passos a propósito da pandemia do coronavírus”, explicou na missiva, sem dizer o nome que rapidamente circulou na imprensa americana.

De recordar que, esta quarta-feira, tinha sido decidido pela NBA a realização do jogo entre Golden State Warriors e Brooklyn Nets à porta fechada pela primeira vez na competição, ficando adiado para quinta-feira uma decisão que para já saiu de cima da mesa: a necessidade ou vontade de fazer todos os encontros à porta fechada.

Esta quinta-feira, foi confirmado mais um caso na mesma equipa, os Utah Jazz: Donovan Mitchell, um dos mais mediáticos jogadores da equipa, teve também um teste positivo para coronavírus, segundo avança a ESPN.