Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Nos primeiros três meses do ano, em plena pandemia de Covid-19,  a Farfetch quase duplicou as suas receitas para 331 milhões de dólares, quando comparado com os valores do mesmo período no ano passado. O volume de negócios num todo também subiu 46% para 611 milhões de euros e os prejuízos mantiveram-se “relativamente inalterados”, com uma subida de 2%, para 79,2 milhões de euros.

Para Luís Teixeira, responsável por todas as operações da plataforma online de moda de luxo, “os resultados foram bastante positivos”, mas não nega que tenha sentido o impacto provocado pelo surto do novo coronavírus. “Dizer que não sofremos impacto seria um exagero. A realidade é que o nosso modelo de negócio é muito resiliente e conseguimos, de facto, entregar crescimento e servir os clientes em todo o mundo”, diz ao Observador. O executivo acrescenta ainda que estes números provam que os investimentos feitos ao longo do tempo “foram corretos”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.