A pouco e pouco mais detalhes vão sendo conhecidos sobre a morte de Naya Rivera, cujo corpo foi encontrado no Lago Piru, na Califórnia, esta segunda-feira. Agora sabe-se que a atriz da série “Glee”, que tinha 33 anos, terá morrido depois de salvar o filho de 4.

Oficial. Corpo encontrado no lago Piru é da atriz de “Glee” Naya Rivera

Na conferência de imprensa dada pelas autoridades também na segunda-feira, o xerife do condado de Ventura, Bill Ayub, revelou aquele que acredita ser o cenário mais provável: “Ela reuniu energia suficiente para levar o filho de volta ao barco, mas não o suficiente para se salvar”, disse. As autoridades acreditam que Naya desapareceu a meio da tarde de quarta-feira numa altura de muitas correntes que terão feito, inclusive, o barco que a atriz alugara horas antes flutuar.

View this post on Instagram

just the two of us

A post shared by Naya Rivera (@nayarivera) on

Rivera e o filho — fruto do casamento da atriz com o também ator Ryan Dorsey, união que durou entre 2014 e 2018 — alugaram um barco no Lago Piru na última quarta-feira. A criança contou aos socorristas que ela e a mãe foram para a água nadar mas que Rivera não regressou ao barco. Segundo Ayub, o menino disse ainda aos investigadores que, já no barco, olhou para trás e viu a mãe desaparecer sob a superfície da água. A criança, Josey Hollis Dorsey, foi encontrada a dormir no barco alugado. Tinha o colete salva-vidas vestido e estava envolvida numa toalha, sendo que um outro colete foi encontrado na embarcação.

“Ela e o filho de quatro anos deixaram o cais aproximadamente às 13h e foram em direção à parte norte do lago. Identificamos áreas específicas que eles visitaram naquele dia”, comentou o xerife, usando para o efeito vídeos do FaceTime, uma vez que a atriz conversou com membros da família quando estava no lago a passear com o filho. “Sabemos por conversar com o filho que ele e Naya nadaram juntos no lago a dada altura da viagem. Foi durante esse período que o filho descreve ter sido ajudado a regressar ao barco por Naya, que o empurrou para o convés”, disse ainda o xerife.

O corpo de Rivera foi encontrado na parte nordeste do lago, perto da superfície da água. “A profundidade da água nessa área tem entre 15 e 20 metros de profundidade e há arbustos e árvores pesadas no leito do lago”, acrescentou ainda Bill Ayub.

Na mesma conferência de imprensa, Ayub deixou claro que o departamento tem estado em “contacto direto” com a família de Rivera que, de resto, marcou presença junto ao lago todos os dias em que as buscas decorreram. No dia em que o corpo de Rivera foi confirmado, alguns membros da série “Glee” juntaram-se a familiares da atriz e, de mãos dadas, reuniram-se nas margens do lago onde esta desapareceu.

As árvores e plantas que existem debaixo do lago tornaram a busca por Rivera muito complicada para a equipa de nadadores. A atriz tinha 33 anos.

A “maldição” de Glee

A atriz ficou sobretudo conhecida pelo papel de Santana Lopez na série “Glee”, tendo participado em praticamente todos os episódios do programa, o qual ganhou a atenção dos críticos logo após a estreia, em 2009. O seu corpo só foi encontrado ao sexto dia de buscas no Lago Piru — no dia em que se passaram exatamente sete anos após a morte de Cory Monteith, um dos protagonistas da série que morreu a 13 de julho de 2013 na sequência de uma combinação letal de álcool e drogas.

Depois de Cory Monteith ter sido encontrado sem vida num quarto de hotel em Vancouver, os fãs e a imprensa desenvolveram uma série de teorias em torno daquilo que consideram ser a “maldição de Glee”. De facto, a esta tragédia seguiu-se uma outra, quando em 2018 o ator Mark Salling, que fazia de Noah “Puck”, suicidou-se aos 35 anos, meses após ter sido considerado culpado pela posse de imagens de pornografia infantil.

Naya Rivera já tinha sido incluída nas listas sobre a suposta maldição quando, em novembro de 2017, a atriz, então com 30 anos e ainda casada com Dorsey, foi acusada de violência doméstica contra o marido e detida. As acusações acabaram por ser retiradas em 2018, a pedido de Ryan Dorsey.