A inovadora escola de programação francesa chega esta segunda-feira a Lisboa com 150 vagas. A Escola 42 é conhecida por promover uma aprendizagem que não conta com o formato tradicional das aulas, a implementação de horários e assente numa abordagem gamificada (que usa as potencialidades dos jogos na aprendizagem). Como é hábito nas restantes escolas, na portuguesa as inscrições também vão ser subsidiadas a 100% pelos mecenas do projeto e os participantes não têm de ter background académico.

A inovadora escola de programação francesa

As 150 vagas da Escola 42, que é considerada a melhor escola de programação do mundo, vão ser patrocinadas pelos parceiros fundadores do projeto, o Banco Santander, a Vanguard Properties e o Ming C. Hsu. São ainda parceiros do projeto as entidades Bi4all, Amaral y Hijas, Família Alves Ribeiro e Fundação José Neves.

O financiamento inicial para os primeiros cinco anos de atividade é de sete milhões de euros, que servirá para cobrir custos da operação e será gerido por uma associação sem fins lucrativos. Durante o programa, os alunos passam depois de desenvolverem e concluírem projetos individualmente ou em grupo, que são posteriormente avaliados pelos colegas.

Quem quiser concorrer terá de fazer dois testes que avaliam o raciocínio lógico e a capacidade de trabalhar sob pressão, explica a escola em comunicado. Não é preciso ter competências de programação e o primeiro teste
dura 10 minutos, seguido de um outro teste de duas horas. O resultado é divulgado dois dias depois. Na fase seguinte, os selecionados passam por um bootcamp de um mês conhecido como a “Piscine”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A escola de Lisboa vai estar aberta durante 24 horas por dia, sete dias por semana. E chega a Portugal pela Shaken not Stirred, por Pedro Santa Clara e pela equipa que liderou o projeto do novo campus da Nova SBE em Carcavelos.