“Posto de Combate”

Baseado no livro do jornalista Jake Tapper, o realizador Rod Lurie, que se formou em West Point e foi militar antes de se dedicar ao cinema, recria neste filme a mais sangrenta batalha travada pelos americanos no Afeganistão, quando a 3 de Outubro de 2009, num posto avançado do Exército, algumas dezenas de soldados de uma unidade de Cavalaria enfrentaram o ataque de centenas de guerrilheiros talibãs mais bem armados e com vantagem posicional no terreno. Além de Orlando Bloom e de Caleb Landry Jones, encontramos no elenco deste veraz e musculado filme de guerra que remete para uma situação clássica do “western” (o forte no meio do nada cercado pelos índios), vários filhos de nomes ilustres do cinema e da música, como Scott Eastwood, Milo Gibson ou James Jagger.

“La Dolce Vita”

O ciclo Essencial Fellini abre hoje com esta obra-prima com pinceladas autobiográficas realizada por Federico Fellini em 1960. Marcello Mastroianni interpreta um jornalista de sociedade, desencantado e dissoluto, que ao longo de sete dias e sete noites de vertigem, percorre uma Roma ora miserável ora sofisticada, fervilhante de povo anónimo, “paparazzi” (termo aqui cunhado por Fellini), basbaques, celebridades, aristocratas e milionários, exibindo ainda marcas da II Guerra Mundial mas já transfigurada pelo “milagre económico” italiano. Vão ser mostrados outros cinco filmes do cineasta: “A Estrada” (13 de Agosto), “Fellini 8 1/2” (20 de Agosto),  “Julieta dos Espíritos” (27 de Agosto), “Os Inúteis” (3 de Setembro) e “A Voz da Lua” (10 de Setembro). A iniciativa assinala o centenário do nascimento de Fellini.

“O Adeus à Noite”

Neste filme de André Téchiné, o jovem Alex (Kacey Mottet Klein), visita a avó, Muriel (Catherine Deneuve), que tem uma quinta com um centro equestre onde se mata a trabalhar, comunicando-lhe que vai para o Canadá com Lila, a sua namorada muçulmana, onde irão viver e procurar emprego. Mas Muriel descobre que Alex foi convertido ao Islão por Lila, e o verdadeiro destino do casal é a Turquia, de onde irão para a Síria, para o rapaz combater ao lado dos jihadistas. Chocada e desesperada, Muriel vai recorrer a tudo, mesmo à ajuda de um antigo jihadista que anda com pulseira eletrónica, para dissuadir o neto de ir lutar para a Síria nas hostes do Estado Islâmico, onde quase de certeza morrerá. “O Adeus à Noite” foi escolhido como filme da semana pelo Observador e pode ler a crítica aqui.