Um homem de 93 anos morreu esta segunda-feira no Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila do Conde, distrito do Porto, devido a complicações relacionadas com legionella, confirmou à agência Lusa fonte da unidade hospitalar.

Com este óbito, sobe para dois o número de vítimas mortais neste hospital devido ao surto da doença dos legionários, causada pela bactéria ‘Legionella Pneumophila’, que tem atingido alguns concelhos da região Norte, nomeadamente Vila do Conde. A outra vítima mortal tinha sido confirmada no domingo pelo hospital, sendo também um homem, mas de 85 anos.

Segundo a mesma fonte do Centro Hospitalar Póvoa de Varzim/Vila do Conde, desde um dia 1 novembro até esta segunda-feira deram entrada na unidade 19 pessoas diagnosticadas com legionella, sendo que 11 continuam internadas, quatro tiveram alta, duas foram transferidas para o hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e outras duas faleceram.

Também Graça Freitas, na habitual conferência de imprensa sobre a pandemia da Covid-19, confirmou o surto, dizendo que a grande maioria dos casos detetados tem origem numa “fonte comum”, na Póvoa de Varzim e Vila do Conde.

“Desde o dia 29 do mês passado foram notificados 64 casos de legionella na região norte, sendo que 46 deles pertencem ao mesmo foco da Póvoa de Varzim e Vila do Conde”, disse, sublinhando que se trata de uma doença sazonal, não contagiosa, que se caracteriza por atingir mais homens do que mulheres e mais idosos do que pessoas mais jovens. De acordo com Graça Freitas, as autoridades de saúde estão a investigar e a atuar, nomeadamente com análises à água, onde se deteta a bactéria.

A Câmara Municipal de Vila do Conde confirmou esta segunda-feira, através de comunicado, a existência de “vários casos” de doença do legionário no município, mas garantiu que o surto se estende “aos concelhos limítrofes”.

A autarquia vila-condense divulgou que teve conhecimento do primeiro diagnóstico de legionella a um residente no concelho a 2 de novembro, e que desde então está “em contacto permanente e estreita colaboração com as Autoridades de Saúde”

A Câmara Municipal de Vila do Conde tem, neste momento, condições de afirmar que há vários casos confirmados da doença do legionário, não só no concelho de Vila do Conde, mas também em vários concelhos limítrofes”, anunciou a autarquia, embora sem especificar números.

No mesmo texto, a Câmara de Vila do Conde acrescentou que “ainda não foi possível identificar a causa/origem dos casos”, garantindo estar “a prestar todos os contributos que possam ser úteis para este processo de Identificação”.

A doença do legionário, provocada pela bactéria Legionella Pneumophila, contrai-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.