Produzida entre 1974 e 1980, a segunda geração do Ford Escort estará para sempre associada aos ralis do Campeonato do Mundo que venceu, em 1979 e 1981, com Björn Waldegard e Ari Vatanen, respectivamente. Durante anos deliciou gerações de amantes desta competição automóvel e, passadas décadas, ainda continua a animar os fãs em provas reservadas a clássicos. Ora, quem julgava que o Escort MK2 estava morto e enterrado fica agora a saber que o modelo voltou a ser produzido, mas não com emblema da Ford.

Quem assumiu a fabricação do Escort RS1800, descontinuado há 41 anos, foram os britânicos da MST Cars, empresa especializada na comercialização de peças para carros de ralis, com destaque para os Escort clássicos. Já há tempos que dessas peças faziam parte carroçarias completas e novas, pelo que a empresa inglesa apenas decidiu avançar e passar a propor uma réplica do saudoso carro de ralis.

Proposto por valores a partir de 65 mil libras, cerca de 72 mil euros, o novo Escort RS1800 está disponível em várias especificações e níveis de potência, dependendo do motor utilizado. E, se o cliente assim o desejar, o mesmo Escort “novo” pode ser fornecido com carroçaria MK1, da primeira geração do modelo.

A MST Cars mantém a caixa do Grupo 4, a tracção traseira através de um diferencial Atlas, obviamente com o tradicional autoblocante, mas a oferta de motores arranca com o Ford Duratec 2.5 com 200 cv. Os mais exigentes e, sobretudo, para os que pretendem competir com o novo Escort RS1800, o modelo pode montar o 2.0 BDG, similar ao original e com mais de 230 cv, podendo no limite instalar a versão 2.5 desenvolvida pela Millington, com mais de 300 cv.

A MST vai iniciar a produção do seu Escort RS1800 nos próximos meses, a um ritmo de 12 carros por ano, o que significa que a lista de espera será ainda maior do que as especificações do RS1800, que pode ser entregue com o interior completo ou com apenas duas baquets para competição, e carroçaria com ou sem alargamentos. Veja aqui como era o Escort em 1981: