A um mês da primeira semifinal, a RTP revelou o nome dos intérpretes que participam no 55º Festival da Canção. Os autores das canções já eram conhecidos desde dezembro e ficou agora a saber-se quem vai estar em palco. Num evento online organizado pela estação pública nesta quarta-feira à tarde, em que se juntaram jornalistas e artistas, ficou também a conhecer-se o nome dos apresentadores das semifinais e da final, e foi divulgada a informação de que todas as canções concorrentes já estão disponíveis em vídeo no site da RTP e no YouTube do Festival da Canção.

O certame reúne 20 canções (foram 16 em 2020) e tanto as semifinais como a final não terão público ao vivo, como medida de precaução face à pandemia da covid-19. Os programas serão realizados a partir do estúdio principal da RTP, na Avenida Marechal Gomes da Costa, em Lisboa, e transmitidos em direto na RTP1, RTP Play e RTP Internacional. A votação seguirá o modelo habitual, cabendo metade da pontuação a um júri profissional e a outra metade ao voto popular.

As semifinais estão agendadas para 20 e 27 de fevereiro, às nove da noite, com apresentação, respetivamente, das duplas Jorge Gabriel/Sónia Araújo e Tânia Ribas de Oliveira/José Carlos Malato. A final, que escolhe o tema para representar Portugal no 65º Festival Eurovisão da Canção, acontece a 6 de março, com os apresentadores Vasco Palmeirim e Filomena Cautela (tal como nos últimos dois anos). Inês Lopes Gonçalves estará como co-apresentadora e foi também ela quem conduziu o evento online desta quarta-feira.

“Os cantores e o júri estarão em estúdio, claro, mas não teremos presença de espectadores, como acontece normalmente”, explicou ao Observador o diretor de programas da RTP. “Fizemos muitos planos ao longo dos últimos meses, mas a realidade da pandemia acabou por se impor. Numa situação menos confinada, teríamos optado por uma solução híbrida, com a presença de alguns espectadores, mas a evolução dos acontecimentos foi em sentido contrário às perspetivas mais otimistas”, acrescentou José Fragoso, notando que o Festival da Canção “é um grande clássico, fundamental para a grelha da RTP”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Sobre se a falta de público pode de alguma maneira descaracterizar o festival, José Fragoso respondeu que não. “Mantém-se o espírito, que vive das músicas, dos autores e dos intérpretes. Até aumentámos as canções de 16 para 20, para dar mais espaço a mais criadores”, comentou.

Emissão online conduzida por Inês Lopes Gonçalves mostrou esta quarta-feira as novidades do Festival da Canção

Presente numa sala virtual de conversação, a autora e cantora Tainá disse ver aspetos positivos e negativos em atuar para uma plateia vazia. “Acho que as pessoas [artistas] não vão ficar tão nervosas”, mas “o lado negativo é que não vamos poder receber aquela energia boa de quando estamos num concerto, não haverá aquela partilha.” Pedro Gonçalves, autor e intérprete de Não Vou Ficar, sublinhou que a presença de pessoas “dá outra motivação” aos cantores em palco. “Mas já vai ser ótimo podermos estar no festival a partilhar a nossa música”, destacou.

Virgul, que escreveu o tema Mundo Melhor para a voz de Ariana, mostrou-se dececionado, considerando “uma perda grande” a ausência de espectadores e disse ter esperança de que até à final haja uma alteração dos pressupostos. No mesmo sentido, Viviave, que escreveu Com Um Abraço para Ana Tereza, afirmou que esta “é uma situação muito estranha”. “Sem palmas, sem sentir a respiração das pessoas, a vibração, o olhar delas, vai faltar uma grande parte do espetáculo, mas estamos a viver uma situação fora de tudo o que conhecíamos e, se tiver de ser, que haja espetáculo na mesma.”

Eis a lista completa de autores, intérpretes e canções deste ano:

Anne Victorino d’Almeida: Nadine, Cheguei Aqui

Carolina Deslandes: Carolina Deslandes, Por um Triz

Da Chick: Da Chick, I Got Music

Fábia Maia: Fábia Maia, Dia Lindo

Filipe Melo: Sara Afonso, Contramão

Hélder Moutinho: Valéria, Na Mais Profunda Saudade

Ian: Ian, Mundo

Irma: Irma, Livros

Joana Alegre: Joana Alegre, Joana do Mar

João Vieira: Graciela, A Vida Sem Acontecer

Karetus: Karetus e Romeu Bairos, Saudade

Miguel Marôco: Miguel Marôco, Girassol

Neev: Neev, Dancing in the Stars

Pedro da Linha: Eu.Clides, Volte-Face

Pedro Gonçalves: Pedro Gonçalves, Não Vou Ficar

Stereossauro: Mema, Claro Como Água

Tainá: Tainá, Jasmim

Tatanka: The Black Mamba, Love is on My Side

Virgul: Ariana, Mundo Melhor

Viviane: Ana Tereza, Com um Abraço

A final do ano passado teve lugar a 7 de março em Elvas. A vencedora, Elisa, com Medo de Sentir, não chegou a atuar na Eurovisão devido à pandemia da covid-19. A União Europeia de Radiodifusão, responsável pelo festival a nível europeu, decidiu cancelar e adiar. A próxima edição está agora pensada para maio, em Roterdão, a mesma cidade do ano passado.

“A informação que temos neste momento é a de que possa haver algum público em Roterdão”, disse José Fragoso ao Observador. “Não a dimensão normal de público, mas uma presença limitada.”