Já não haverá Rock in Rio este ano: a edição do festival de música agendada para junho de 2021 foi adiada para 2022, informa a organização em comunicado.

É o segundo grande festival de verão — e o segundo grande festival de música agendado para junho — a ser adiado para 2022, depois da organização do NOS Primavera Sound ter comunicado o adiamento também esta semana, na terça-feira.

A edição do festival de música que habitualmente decorre a cada dois anos no Parque da Bela Vista, em Lisboa, estava agendada para os dias 19, 20, 26 e 27 de junho. Estavam confirmados concertos de Foo Fighters, The National, Liam Gallagher, Black Eyed Peas, Ivete Sangalo, Duran Duran, A-Ha, Post Malone e Anitta, entre outros.

Em vez de decorrer em junho de 2021, o Rock in Rio Lisboa acontecerá nos dias 17, 19, 25 e 26 de junho de 2022. Os bilhetes já adquiridos para 2021 “mantêm-se automaticamente válidos” para 2022, explica a organização em comunicado. Quanto ao cartaz, haverá novidades “em breve”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em breve partilharemos mais informações dirigidas aos portadores de bilhetes, assim como novidades relativas ao cartaz”, lê-se ainda na nota enviada à imprensa.

A vice-presidente executiva do festival, Roberta Medina, explica o adiamento em comunicado: “Ao longo destes últimos 11 meses estudámos vários cenários e discutimos em grupos de trabalho, com as autoridades competentes, diferentes medidas”. Porém, “chegada a data limite para iniciarmos as montagens da Cidade do Rock, encontramo-nos ainda em fase de Estado de Emergência e sem garantias de que, em junho, estejam reunidas as condições para realizarmos o festival no seu modelo original”.

Assim, por garantir ter “na “saúde” e “segurança do público” a sua “principal preocupação”, a organização do festival adia a próxima edição de 2021 para 2022.

As datas dos festivais em risco, do Alive (julho) a Coura (agosto)

Por serem dois dos primeiros grandes eventos de verão da temporada (estavam ambos agendados para junho) e por não verem condições para a realização do NOS Primavera Sound e do Rock in Rio em 2021, as organizações dos dois festivais decidiram adiar já o evento para 2022.

Porém, há outros festivais como o Afro Nation (1 a 3 de julho), Sumol Summer Fest (2 e 3 de julho), EDP Cool Jazz (primeiro dia de concertos, o de John Legend, agendado para 2 de julho), Rolling Loud (6 a 8 de julho), NOS Alive (7 a 10 de julho), Super Bock Super Rock (15 a 17 de julho) e MEO Marés Vivas (16 a 18 de julho), cujas edições não foram até ao momento adiantadas, que também estão em risco.

Testes para a retoma de festivais. “Contamos provar que é possível voltarmos a trabalhar”, diz promotora

Por decorrerem numa fase mais adiantada do verão, as esperanças sobre a possibilidade de realização de festivais como o Neopop (11 a 14 de agosto), O Sol da Caparica (12 a 15 de agosto), Vodafone Paredes de Coura (18 a 21 de agosto) e sobretudo o Lisb-ON (3 a 5 de setembro) e o Tremor (7 a 11 de setembro) são um pouco maiores mas ainda não há quaisquer garantias de que seja possível realizar festivais de verão este ano em Portugal.