Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A inesperada derrota do Benfica na Maia na última jornada da fase regular do Campeonato, que se seguiu a uma eliminação também inesperada nas meias-finais da Taça de Portugal frente ao Imortal quando a formação de Carlos Lisboa parecia ter o encontro controlado, acabou por provocar uma viragem nos emparelhamentos do playoff com uma “ronda grande” logo a abrir que cruzava os encarnados com a Oliveirense, numa reedição da última final em 2018/19 que juntava os derradeiros campeões nacionais. E a qualidade dos jogos fez jus ao que estava em causa, com o Benfica a ganhar por duas vezes em Oliveira de Azeméis e a carimbar a passagem às meias-finais, encontrando agora o rival Sporting que terminara a primeira fase na liderança.

“Vai ser um jogo complicado, uma eliminatória difícil. Eles êm sido uma das melhores equipas na Liga ao longo do ano. Teremos de jogar muito bem e se jogarmos o nosso melhor basquetebol temos boas hipóteses de ganhar”, comentou Bryce Alford no lançamento do encontro, base norte-americano que cumpre o segundo ano na Europa depois da passagem pelos alemães do Medi Bayreuth e que foi a chave da vitória do Benfica no jogo 4 com a Oliveirense com 36 pontos que mereceram até elogios da grande figura dos Chicago Bulls, Zach LaVine. “É sempre positivo quando tens um bom desempenho pessoal mas a única coisa com que me preocupo é que a equipa vença. Ajuda quando jogas bem e também estás confiante”, acrescentou o jogador de 26 anos à BTV.

“Chegamos a esta parte decisiva da temporada extremamente motivados e queremos passar à final. O Benfica é uma equipa muito forte a lançar de três pontos e que tem jogadores com muito talento. Temos de defender muito bem para reduzir esses pontos fortes e temos trabalhado para isso. Vitórias na fase regular? São jogos que fazem parte do passado. Podemos tirar algumas ilações mas o que interessa é o próximo jogo e estamos focados em ganhar já o primeiro. Sabemos que o adversário é difícil mas queremos continuar a senda vitoriosa e passar à final”, destacara na antevisão Diogo Ventura, base do Sporting que tem sido uma das revelações da temporada pela influência que foi ganhando ao longo dos últimos meses nas opções do conjunto verde e branco.

Era neste contexto que chegava o jogo 1 desta inédita meia-final do Campeonato entre Sporting e Benfica, com os leões a ganharem os dois encontros realizados na presente época (67-63 em casa, 87-75 fora) e a levarem três triunfos consecutivos desde o regresso da modalidade a Alvalade contando ainda com o 81-75 no Pavilhão João Rocha antes de todas as provas serem suspensas em 2019/20 devido à pandemia. E não houve mesmo três sem quatro, ainda que num dérbi atípico que teve as águias sempre por cima e com vantagens que chegaram a ser de 13 pontos antes de uma grande recuperação dos leões que acabariam por vencer por 92-86.

Em atualização

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR