O Trojan Horse was a Unicorn (THU) realizou as últimas duas edições em La Valletta, Malta, mas regressa este ano a Portugal, de 20 a 25 de Setembro. Criado por André Luís em 2013, o THU é um dos principais eventos de entretenimento digital do mundo e o fundador diz que vai “ajudar a impulsionar a indústria de entretenimento digital no país, através de um conjunto de eventos e iniciativas focadas no talento criativo”.

Trojan Horse Was a Unicorn deixa Tróia e muda-se para Malta

Nos últimos dois anos, a organização do THU foi tendo diversos contactos com o Governo português — em particular com o Ministério da Cultura e com a Secretaria de Estado do Turismo — para conseguir que o evento regressasse ao país. A última edição em território nacional decorreu em 2017.

“Acredito que Portugal tem o potencial para se tornar numa referência nesta indústria, pois reúne condições económicas, culturais e sociais que fazem dele um país atrativo para o talento e os investidores internacionais. Queremos alavancar também os criadores e as empresas nacionais”, afirmou André Luís.

Há um unicórnio da animação à solta em Troia. E esteve quase para se ir embora

A ministra da Cultura Graça Fonseca refere que “a importância do setor digital é cada vez maior” e que “a crescente procura de conteúdos representa novas oportunidades de emprego nas áreas culturais e criativas da fotografia à ilustração, do design ao guionismo, passando por novas profissões e especializações no cruzamento entre arte e tecnologia”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Como tal, é de grande interesse estratégico promover o talento nacional nesta área e a vinda de um evento como o THU para Portugal é um bom contributo para esse posicionamento”, acrescentou Graça Fonseca.

Rita Marques, secretária de Estado do Turismo de Portugal, acrescenta que o THU “além de ter tudo isto, dá também um contributo para a estruturação do produto turístico mais digital, uma tendência ainda mais forte após este ano particularmente desafiante”.

O THU refere que tem servido como “uma das maiores oportunidades de recrutamento da indústria” para nomes como Walt Disney Animation Studios, Lego, Netflix, Sony, Riot e Epic Games. O evento de entretenimento digital atrai anualmente mais de 1000 criadores, recrutadores da indústria e jornalistas especializados, de 75 países. Durante seis dias, as empresas e participantes criam ligações, colaboram, partilham conhecimentos, ideias e experiências.

É português, cresceu “demasiado” e esgotou em nove dias. É para Malta que o THU vai?

As edições anteriores contaram com a presença de alguns nomes vencedores de Óscares pelo trabalho desenvolvido em filmes como “Homem-Aranha: no Universo Aranha”, “Avatar”, “O Livro da Selva”, “Titanic” or
“Brave – Indomável”.

Em 2018, quando se mudou para Malta, André Luís dizia: “Sempre soubemos que o THU tinha de evoluir e que, para isso acontecer, seria necessário sairmos da nossa zona de conforto. O evento tornou-se um fenómeno e estava na altura de oferecer algo novo e diferente à nossa comunidade: uma nova casa. Foi por isso que aceitamos o desafio de Malta e estamos muito felizes por fazer parte de um plano ambicioso que tem como
objetivo tornar Malta num novo hub para a indústria”.

Trojan Horse Was a Unicorn. “Durante dois anos, estive praticamente escondido”

Em 2015, André Luis já tinha anunciado que o evento ia sair de Portugal porque não estava a ter os apoios que precisava. Na altura, foi João Vasconcelos, ex-secretário de Estado da Indústria, que impediu a deslocalização do evento, após ter lido a intenção de André Luís numa notícia publicada no Jornal de Negócios. Apesar das propostas que surgiram na altura, André conseguiu manter o evento em Portugal durante mais dois anos.