Obrigado por ser nosso assinante. Beneficie de uma navegação sem publicidade intrusiva.

Ópera no Coliseu do Porto

Rua Passos Manuel, 137 (Porto). 22 339 4940. Sábado, às 20h; domingo, às 11h. Bilhetes: entre os 6€ e os 40€

Para ouvir Mozart e aplaudir de pé: a comemorar 80 anos de vida, o Coliseu do Porto volta a receber espetáculos de ópera. Este sábado é a vez de  “Così Fan Tutte”, de Mozart, uma peça cómica italiana, cheia de enganos e peripécias, que propõe uma divertida reflexão sobre o amor e a fidelidade. Em palco estará a Orquestra Clássica do Politécnico do Porto, composta por 40 músicos, seis solistas portugueses e um coro comunitário, composto por 16 vozes, sob direção musical de Cesário Costa e encenação de António Durães. No domingo, o Concerto Promenade 2.0 vai debruçar-se sobre a mesma ópera, numa versão reduzida, contando com o comentário do musicólogo Jorge Castro Ribeiro e uma componente multimédia criada por Sara Botelho, num programa dedicado a toda a família.

Aos 80 anos de vida, o Coliseu do Porto volta a receber espetáculos de ópera @João Tuna

Mala Voadora

Rua do Almada, 277 (Porto). 93 415 2264. Sábado, às 21h; domingo às 16h. Bilhetes: 5€

Para voltar ao teatro em bom: “Querer-se morrer confortavelmente na dor” é o nome de uma performance assinada e interpretada por Filipa Matta e Óscar Silva, protagonistas da estrutura artística Terceira Pessoa. A peça foi criada no contexto do projeto pluridisciplinar “Rastro, Margem, Clarão” e envolve criadores em artes performativas, artes visuais e um ensaio teórico em torno do universo da escrita de Rui Nunes. A produção parte de fragmentos da obra do escritor lisboeta de 73 anos, cujo estilo é conhecido por ser abstrato, despojado e não-narrativo. A performance que fala da morte e dos seus dramas estreou no ano passado no Teatro Municipal da Guarda e chega à Invicta este fim de semana.

A Mala Voadora, na baixa do Porto, recebe um peça da dupla artística Terceira Idade @DR

Gruta

Rua de Santa Catarina, 447 (Porto). 91 101 7007. Quarta a sábado, das 19h30 às 23h; sábado e domingo, das 12h às 15h. Preço médio: 25€

Para comer longe da confusão: quando pensamos na rua de Santa Catarina, no Porto, vem-nos imediatamente à memória muitas lojas, pessoas a passear com sacos de compras, músicos no passeio e muito movimento. Este mês, a contrastar com a confusão típica de uma das principais artérias da cidade, abriu um restaurante minimalista, acolhedor e sossegado, onde pode provar uma carta simples, recheada de ingredientes locais e com especial destaque para os melhores peixes e mariscos da nossa costa. A comandar a cozinha está a chef brasileira Rafaela Louzada e de lá saem entradas como os pastéis de bacalhau, as gambas rosas salteadas com molho de coentros, azeite e alho, acompanhadas com pão brioche ou o carpaccio de polvo. Nos pratos principais reinam a mini moqueca de peixe, o arroz de mar, com crustáceos, lula, camarão e berbigão, ou o lobster rol, o brioche da casa com recheio quente de lavagante azul, maionese de kimchi e batatas chips crocantes. Há vinhos portugueses e espumantes para regar a refeição e pode rematá-la com uma torta francesa de maçã com gelado de Porto Tawny ou um clássico bolo de chocolate.

Peixe e mariscos da nossa costa sentam-se à mesa do Grua, o novo projeto da chef brasileira Rafaela Louzada @DR

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Festival Cem Portas

Convento São Francisco (Coimbra). Sexta a domingo. Acesso gratuito

Para ver dança, circo, música e cinema num convento: a 4.ª edição do festival Cem Portas volta a abrir o Convento São Francisco à cidade com uma programação para todos os gostos. O evento arranca com uma performance sonoro-musical, de Carlos Santos e Miguel dos Reis, um projeto que resulta de um processo de captação de sons da cidade de Coimbra. No grande auditório, o circo contemporâneo é apresentado pela Companhia Oliveira e Bachtler, com o espetáculo “Otus”, e nos claustros o ator André Gago encerrará a primeira noite com três recitais, onde a poesia, a prosa e o ensaio vão conviver harmoniosamente. O segundo dia do festival vai centrar-se numa homenagem aos 100 anos do filme “O garoto de Charlot”, de Charlin Chaplin, com um cine-concerto, e no domingo os mais novos terão direito a atividades à sua medida, como um concerto que estimula a imaginação de bebés.

Uma homenagem à obra de Charles Chaplin é um dos destaques da programação do festival Cem Portas @DR

“Ulisses e o Cavalo de Tróia”

Jardim Botânico Tropical, Belém (Lisboa). 93 810 96 44 / 91 713 13 75. Sábado às 11h; domingo às 11h e às 16h. Bilhetes: 8€ (para maiores de três anos), 3€ (para menores de três anos)

Para ver um clássico no meio da natureza: com o fim das férias e o regresso à cidade, nem sempre é fácil entreter os mais novos antes do regresso à escola. Este fim de semana reserva umas horas para os levar ao teatro num cenário especial. O Jardim Botânico Tropical, em Lisboa, vai receber o espetáculo infantil “Ulisses e o Cavalo de Tróia”, uma adaptação da clássica epopeia de Homero dedicada aos mais pequenos. A interpretação da história repleta de sereias, ciclopes e deuses enfurecidos estará a cargo de Alexandra Pato, Carlos Gonçalves, João Ascenso e Rafael Serra e, da música original aos figurinos e adereços, nada será esquecido.

Um ano depois de ter encerrado, o Jardim Botânico Tropical, em Belém, Lisboa, abre portas no sábado com espaços renovados, desde caminhos, condutas de água e de rega, 21 de janeiro de 2020. (ACOMPANHA TEXTO DO DIA 23 DE JANEIRO DE 2020) MÁRIO CRUZ/LUSA

O Jardim Botânico Tropical em Belém vai receber um dos clássicos da literatura adaptado ao teatro infantil @DR

Novos pratos no Santa

Rua São João da Praça, Alfama (Lisboa). 21 887 2359. Quarta a domingo, das 12h às 22h30; brunch aos sábados e domingos, das 9h às 12h.

Para prolongar o verão à mesa: o restaurante Santa abriu portas em junho junto à Sé de Lisboa e da cozinha saem pratos tipicamente portugueses com um toque contemporâneo e um empratamento de encher o olho. A carta sofreu alterações recentemente que vale a pena conhecer, como o tártaro de salmão com ovas de wasabi, o peixe em crosta de milho crocante com um mix de tomates cherry e molho de pimentos assados, o bacalhau em lascas, cream chesse e ervas ou as gambas flambadas em vinho branco. Há ainda peixe espada negro de S. Jorge com lascas de amêndoas, lombos de porto alentejano com molho agridoce, queijo da Serra e regado com uma redução de vinho do Porto. Para brindar nos dias de calor que ainda nos restam, opte pelas sangrias de frutos vermelhos ou maracujá com maçã verde ou cocktails como o Aperol Sprtiz ou o mais tradicional Pisco Sour.

O tártaro de salmão com ovas de wasabi é uma das novidades refrescantes da carta do Santa, em Alfama @DR

Figueira Jazz Fest

Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz. 23 340 7200. Quinta a sábado, às 22h. Bilhetes: 5€

Para fazer uma vénia ao jazz e à língua portuguesa: a 2.ª edição do Figueira Jazz Fest arranca esta quinta-feira e até sábado promete um cartaz com nomes portugueses, concertos inéditos e arranjos jazzísticos. Sexta-feira, Paula Oliveira junta-se ao fadista Ricardo Ribeiro para interpretarem temas do cancioneiro português com um um arranjo diferente, num espetáculo inédito. No sábado, o evento encerra com a cantora portuguesa, a viver na Holanda, Maria Mendes, que, acompanhada por um trio de consagrados músicos internacionais, apresentará as músicas tradicionais portuguesas que fizeram de “Close to me” um dos discos nomeados para o Grammy Music Award deste ano. “Barco Negro”, “Tudo Isto é Fado”, “Foi Deus” ou “Asas Fechadas” são alguns dos temas que serão tocados e cantados com um toque de jazz.

O fadista Ricardo Ribeira sobe ao palco do Figueira Jazz Fest para provar que a música ao vivo está mesmo de volta @DR

Novidades no Terraço Editorial

Rua dos Franqueiros, 276 (Lisboa). 91 202 7876. Segunda a sábado, das 12h às 23h.

Para testar o paladar num terraço: com uma vista altamente instagramável sobre Lisboa e mais de 190 vinhos presentes na carta, o Terraço Editorial, situado no topo do edifício da Pollux, é conhecido por ser um ótimo ponto de encontro para fins de tarde com amigos. É la que vai poder encontrar algumas novidades sazonais, confecionadas pelo chef da casa, Rui Rebelo, que estão na carta durante um mês e ainda sabem a verão. Depois da cominação do espumante Freixenet Ice Rosé com ostras de mirtilo fermentado e hibiscos, chega uma sopa fria que junta melancia e beterraba. Pratos e petiscos podem e devem ser acompanhados por vinhos a copo, sangrias, espumantes ou cocktails da época, como gins com gengibre e saquê.

O Terraço Editorial tem lançado novidades que combinam com o verão. A mais recente é esta sopa fria de melancia e beterraba @DR

BoCA – Bienal de Artes Contemporâneas

Vários locais em Lisboa, Almada e Faro. De 3 de setembro a 17 de outubro. Entrada livre

Para dar a volta ao mundo das artes: a 3.ª edição da BoCA arranca este fim de semana sob o lema “Prova You Are Human” e traz na bagagem uma programação com 40 artistas contemporâneos nacionais e internacionais e mais de 26 espaços, distribuídos por três cidades. Há dez estreias nacionais e 17 novas criações como “Andy”, o espetáculo de teatro musical, inspirado na história de Andu Warhol, que marca a primeira criação de aplco de Gus Van Sant, a instalação de grande escala “O Barco”, de Grada Kilomba, construída a partir da desumanização, da violência e do genocídios dos povos africanos e indígenas, ou “Tralha”, o primeiro texto teatral escrito pela rapper portuguesa Capicua, com a co-criação e interpretação de Tiago Barbosa. Entre música, teatro, performances, instalações, cinema, conversas e workshops, o difícil vai ser mesmo escolher.

A rapper Capicua apresenta-se pela primeira vez como dramaturga na bienal de arte contemporânea que chega a Lisboa, Almada e Faro @DR

Miradouro de Baixo

Rua de São Lázaro, 72 (Lisboa). 93 393 8882. Quinta a domingo, das 18h30 às 23h.

Para inaugurar um novo miradouro: agosto e pandemia combinam com sítios ao ar livre, onde o distanciamento social, a comida e a boa disposição estejam garantidas. A pensar nestas premissas, as Carpintarias de São Lázaro abriram recentemente o “Miradouro de Baixo”, um terraço panorâmico de 500 metros quadrados e uma vista para as colinas da Graça e do Castelo. Com uma lotação de 40 lugares, o espaço vai receber até ao final do ano o Festival Gastronómico de Comidas de rua. No arranque, a cozinha é orientada chef Dinis Correia, mas a ideia é explorar o street food com convidados multiculturais, acrescentando um nível de cozinha de autor. O projeto inclui a organização de diversas atividades em torno da gastronomia e da cultura como conversas, workshops, pop-ups e “eateliers”.

Há um novo miradouro para descobrir em Lisboa e onde a comida de rua de vários pontos do mundo vai ser explorada @DR