Apontando como fonte o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o site informap afirma que a 1 de junho as temperaturas irão atingir os 40º C em Portugal. O IPMA garante ao Observador que não emitiu nenhum comunicado nesse sentido e acrescenta que fazer uma previsão meteorológica com temperaturas certas com 15 dias de distância não tem qualquer rigor científico. O texto está a ser partilhado nas redes sociais e o Facebook aponta-o como potencial notícia falsa — o que se verificou. Esta publicação é falsa.

“As máximas esperadas no final do mês de Maio serão de 35ºC a 37ºC em muitos pontos do centro e Sul, no Norte entre os 32ºC e 36ºC. No interior nem se fala, as máximas chegaram mesmo aos 40ºC certos. A partir de Junho o calor será igual como no litoral e interior, as máximas sempre em redor dos 38ºC e 40,5ºC”, lê-se na publicação cujo título é “Calor: A partir do dia 1 de Junho será marcado 40ºC em Portugal”.

O Observador contactou o IPMA e falou com Ângela Lourenço, a meteorologista de serviço. A data em que o site publicou aquela informação, 12 de maio, coincide com a divulgação do boletim mensal do instituto onde, em lado algum, aponta para aquelas temperaturas.

O site diz que as temperaturas serão de 40ºC a 1 de junho

“Para a semana de 1 a 7 de junho a anomalia indica que há uma probabilidade entre 60% a 70% da temperatura estar entre 0 e 1ºC acima da temperatura média normal nesta altura do ano, que é entre 23 e 28ºC”, explica a meteorologista. Ou seja, no máximo, a temperatura chegaria a 29ºC — tanto quanto o IPMA pode prever a esta distância temporal.

Conforme explica Ângela Lourenço, as anomalias representam valores acima (anomalias positivas) ou abaixo (anomalias negativas) do normal. Mas esse normal é uma média das temperaturas registadas naquela data nos últimos 20 anos.

“Isto não quer dizer que quando chegarmos a 1 de junho não se possa chegar aos 40º graus. Há sempre alguma probabilidade de podermos acertar, tal e qual como se eu disser que em agosto vai estar calor e em dezembro vai estar frio… Há uma probabilidade de acertar, mas isso não é uma previsão, é um palpite”, explica.

De resto, lembra que “até 2003, os máximos absolutos foram registados em junho”, ou seja, “é um mês que tem potencial para ser muito quente” e uma temperatura de 40ºC pode ocorrer. “Mas um palpite não é uma previsão. O IPMA só faz previsões com temperaturas até 10 dias e não faz afirmações dessa natureza. Este tipo de afirmação, com tanto tempo de antecedência, não é científico, não é sério, nem é razoável mesmo que a probabilidade de acertar seja alta”, conclui Ângela Lourenço.

Conclusão:

Falso. O IPMA, que é apontado como fonte da informação, não emitiu qualquer comunicado prevendo temperaturas de 40ºC para junho e fonte do instituto considera que a alegada previsão não tem rigor científico.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge