Muitos utilizadores do Facebook têm partilhado desde janeiro o endereço de uma página da internet onde se encontra uma entrevista com o médico alemão Thomas Schneider, identificado como “chefe do mundialmente famoso Centro de Reumatologia e Neurologia de Berlim”. O suposto médico – que na verdade não é médico e nem existe – diz na entrevista que os tratamentos existentes em Portugal para problemas de reumatologia são “do século passado”. “Em Portugal, as doenças articulares ainda são tratadas com medicamentos obsoletos e ineficazes que devem ser tomados ao longo de toda a vida. Enquanto isso, na Alemanha tratar as articulações é tão simples como tratar um nariz tapado”, lê-se.

O conteúdo em causa é claramente ficcional, apesar de imitar os códigos de credibilidade da linguagem jornalística, e pretende publicitar um alegado “remédio muito bom” e “altamente eficaz” para “doenças articulares”. À medida que a entrevista se desenrola, a mensagem do médico torna-se cada vez mais comercial, terminando com um apelo direto à compra do milagroso medicamento, cujo nome não está registado na base de dados do Infarmed, a autoridade portuguesa do medicamento. O mesmo produto tem sido anunciado com diferentes linguagens em milhares de outras páginas da internet.

A falsa entrevista com o falso médico alemão adota um tom conspirativo – um tratamento que estaria a ser sonegado aos portugueses – e emprega uma ortografia e uma sintaxe pouco comuns na língua portuguesa, incluindo expressões da variante brasileira. “Os métodos portugueses de tratamento das articulações chocam. O renomado reumatologista alemão concedeu uma entrevista à edição portuguesa”, diz o título. É provável que o texto resulte de uma tradução automática.

A fotografia que acompanha o artigo pretende transmitir que o “doutor Thomas Schneider” é o retratado, mas uma pesquisa no Google revela que quem está na imagem é outra pessoa: o advogado e professor russo Pavel Astakhov. A foto tem pelo menos cinco anos e foi captada pelo fotógrafo Alexei Filippov, do site de notícias pró-russas Sputnik, publicado em várias línguas. Uma versão da imagem, mais aproximada, consta de uma notícia de 2015 do Sputnik em espanhol e Pavel Astakhov (ou Pável Astájov, na transcrição espanhola) era então Provedor da Criança na Rússia, um cargo público de que foi demitido no ano seguinte.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Outros dois elementos confirmam o teor fraudulento: é referido o Centro Português de Reumatologia, que não existe; e a data do artigo muda automaticamente todos os dias, o que faz o texto parecer sempre atual.

Conclusão

Um página de internet cujo endereço tem tido centenas de partilhas no Facebook veicula informações falsas sob a capa de conteúdo jornalístico: uma suposta entrevista com um suposto médico que critica o presumível atraso do sistema português de saúde e apresenta em alternativa um “remédio” que trata doenças reumáticas, mas que não está registado junto do Infarmed. Não foi possível verificar se existe na Alemanha um médico reumatologista chamado Thomas Schneider, mas seguramente não é esse o nome nem a profissão da pessoa que surge na fotografia que acompanha a entrevista e nem seria verosímil que um médico veiculasse uma mensagem publicitária como a que aparece na referida página.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

De acordo com o sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

IFCN Badge