Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não é preciso ser teólogo para afirmar, com alguma certeza, que os bons humoristas estão inexoravelmente condenados. Não, não é o que estão a pensar: não estão predestinados ao inferno, como aliás ninguém está, mas ao céu, que é o destino natural de todos os que fazem da alegria a sua forma de ser e estar neste mundo.

Nas caixas de comentários das redes sociais, há uma presença obrigatória: a dos ‘haters’, uns avençados que odeiam tudo e todos. O pior nem sequer são as suas razões sem razão, onde abundam as incoerências e as falsidades, mas o facto de que são, por regra, muito chatos. Como não são cristãos – a caridade é o sinal distintivo dos seguidores de Cristo – não sabem o que é a alegria, que é uma atitude genuinamente cristã.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.