Dark Mode 165kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Primavera: Os concertos

Primavera: Os concertos

Com os Death Grips vimos o fim do mundo

Este exército vai tomar conta de tudo e ninguém sabe como vamos ficar. Sabemos, isso sim, que durante uma hora, o tempo que durou o concerto deste trio, o mundo acabou. E nós aplaudimos.
Primavera: Os concertos

Sampha foi OK. E foi isso

Ele tem o que é preciso para fazer o R&B funcionar como é suposto, mas em palco nem sempre se liberta das formas mais contidas das canções que escreve. Quando o faz, tudo muda.
Primavera: Os concertos

Elza Soares sambou na cara dos inimigos

1423
Ainda não era noite, não era o palco principal, não tinha o nome no espaço reservado aos cabeças de cartaz. Mas foi a rainha de tudo e de todos, com o toque certo e as palavras sábias.
Primavera: Os concertos

Nicolas Jaar, como é que acertas sempre?

111
É um xamã da eletrónica que ora serve para dançar, ora emociona. Tanto enerva como seduz. Faz sempre isso, voltou a fazê-lo, nunca se repete e deixa marcas bem vivas.
Primavera: Os concertos

Quando for grande quero ser o Hamilton Leithauser

Não há mal nenhum em olhar para um palco e admirar um artista. Este cantador de glórias incertas cumpre o papel na perfeição e ao vivo isso é ainda mais evidente. Nada melhor que explicar porquê.
Primavera: Os concertos

Angel Olsen: é dela que realmente gostamos

Cantou ao por do sol porque só podia ser assim. Parece um cliché romântico mas com Angel Olsen há de tudo menos clichés. Há encanto e guitarras para amantes doridos. E isso também pode ser uma festa.
Primavera: Os concertos

Pond: o bom rock à casa torna

Pond deram uma injeção de rock àqueles que dela precisavam, desesperadamente, depois de um primeiro dia muito focado no hip-hop, no R&B e na eletrónica. Não deu para tirar os olhos de Nick Allbrook.
Primavera: Os concertos

Na catequese da noite a cruz dos Justice é fogo

Dois para muitos mil. Parece ingrato mas é só um jogo bonito. O duo francês fechou o primeiro dia de NOS Primavera Sound como tinha de ser: com toda a dança que tinham no cabedal.
Primavera: Os concertos

Run the Jewels. Isto vale ouro, daquele pesado

Fomos todos ao clube. Isto é um festival ou é uma noite blockbuster, como os próprios a apresentaram? O hip hop dos Run the Jewels ocupou esta Primavera. Limpinho, limpinho.
Primavera: Os concertos

Big Show Miguel

O americano sabe bem como se toma conta deste negócio: façam-nos suar e ninguém vai desistir. Neste Primavera foi isso que aconteceu, com um concerto de cama e revolução.
Primavera: Os concertos

Com Samuel Úria nunca perdemos. Nunca

Este Elvis de boa ginga já teve tudo mais a seu favor do que na abertura do NOS Primavera Sound. Mas a verdade é que nunca há nada contra ele. Úria foi o primeiro e o número fica-lhe bem.
A página está a demorar muito tempo.