Logo Observador
Cinema

A série “Breaking Bad” transformada em filme tem duas horas e está online

531

O autor desta versão condensada da popular série de televisão diz que não é um best of dos 62 episódios, é um novo olhar sobre a história de Walter White, criada por Vince Gilligan. Pode vê-lo aqui.

Frank Ockenfels 3/AMC

Há quem nunca tenha visto a série “Breaking Bad” — há mesmo. E depois existem os fãs que talvez tenham visto a série completa mais que uma vez. Agora, ambos os grupos de seres humanos podem fazer algo que nunca fizeram: ver um filme de duas horas que resume o essencial dos 62 episódios que fizeram as cinco temporadas. Um fã trabalhou nisto durante dois anos e colocou o resultado final online. Não se sabe é quanto tempo vai estar disponível:

Na página do Vimeo onde o “filme” está publicado — e no site criado de propósito — , o autor desta montagem revela a questão que o levou a cumprir tal missão: “E se ‘Breaking Bad’ fosse um filme?” Ora bem, tal como faz a pergunta também deixa a resposta: “Após dois anos de noites sem dormir e depois de um trabalho infinito de edição, esta é a resposta. Um projeto-estudo que se transformou uma paixão”. Reforçamos: paixão. Até porque a série, no total, tem 46 horas.

O autor, que não deixa nenhuma assinatura, diz que este não é um filme de fãs, não é um resumo ou um best of, é um “reimaginar” do conceito que deu origem a “Breaking Bad”, de forma a transformar esse mesmo conceito numa longa metragem. Aliás, este empreendedor vai mais longe e escreve: “É uma alternativa a ‘Breaking Bad’, para ser vista com outros olhos”. Mas é ainda a história de Walter White (Bryan Cranston), o professor de ciências que descobre que tem cancro e que vira produtor de drogas pouco legais.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Maioria de Esquerda

Jogo da Glória: regras e regulamentos

Alberto Gonçalves
189

Na sua página do Facebook, um comentador lembra-lhe educadamente que, além de outras interessantes peculiaridades “culturais”, os ciganos também acham a homossexualidade uma “anomalia”. Recue uma casa