Jaime Jorge e João Caxaria são as mentes por detrás da Codacy, plataforma online de análise de código para clientes que desenvolvem software. Objectivo: encontrar erros que ajudem os programadores a trabalhar com mais eficiência. A ideia não é nova, porque antes da Codacy já existia a Qamine. Mas os cérebros por detrás da ideia são os mesmos: dois apaixonados por linguagens de programação e análise de software, com 26 e 34 anos, respectivamente.

“Esta empresa é a continuação do que era a Qamine há um ano atrás”, explica Jaime Jorge. A ideia começou a germinar em 2012, depois de o cofundador ter concluído a tese de mestrado. Daí até à incubação na Startup Lisboa, incubadora de empresas com origem no Orçamento Participativo de Lisboa, foi um passo. Foi preciso dar outro para o projecto se transformar numa das startups selecionadas para o programa de aceleração de empresas tecnológicas em Londres, o Seedcamp.

Foi na capital britânica que a Qamine se instalou, mas a vontade de viver em Portugal falou mais alto. Em Novembro de 2013, os dois fundadores regressaram a Lisboa para lançar a versão portuguesa da Qamine. “Arrancámos com uma empresa portuguesa para poder contratar e ficar aqui. Foi uma decisão consciente. Tínhamos a possibilidade de ir para São Francisco ou de continuar em Londres, mas quisemos voltar”, explica Jaime Jorge.

Engenheiros a preço competitivo

Na balança, pesou o facto de Portugal ter engenheiros “muito bem formados” a um preço “muito competitivo”. O custo de vida em Portugal “permite que os nossos engenheiros produzam muita qualidade a um preço muito acessível para as empresas que os contratam”, explica o fundador da Codacy. Em segundo lugar, pesou a qualidade de vida que pode ser desfrutada em Lisboa, sabendo que a empresa pode servir qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, a partir da Rua da Prata, na baixa da cidade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Entre a saída para Londres e o regresso à capital portuguesa passaram cerca de dez meses, mas Jaime Jorge destaca diferenças: “As pessoas têm mais experiência a analisar negócios, há mais investidores e mais dinheiro disponível dentro do ecossistema”. Contudo, confessa que Lisboa ainda está “completamente afastada” do que é Silicon Valley, apesar de reconhecer que existem algumas startups portuguesas que estão a nível mundial.

Para lançar a Codacy, Jaime Jorge e João Caxaria precisaram de um investimento inicial de meio milhão de dólares, que conseguiram através da Espírito Santo Ventures e da Faber Ventures, duas sociedades de capital de risco portuguesas. Com sete colaboradores, Jaime Jorge adianta que existem milhares de programadores a utilizarem o produto Codacy diariamente, da China a São Francisco. É com ADN português que se identificam os erros de software do mundo.