Os cientistas acreditam ter descoberto porque é que não temos memórias de infância. A maior parte das pessoas lembra-se apenas da infância a partir dos três anos. Até agora, ainda não se tinha percebido porquê.

Uma equipa liderada por Katherine Akers, da Universidade de  Toronto, descobriu que o que o cérebro de um bebé desenvolve-se tão rapidamente que as novas memórias apagam as antigas, revela o The Telegraph. O trabalho de investigação, publicado no jornal “Science”, sugere que a neurogénese, ou a renovação de neurónios, pode justificar a “amnésia infantil” – que ocorre em várias espécies, entre elas a humana.

Os investigadores recorreram a choques eléctricos em dois grupos de animais para induzi-los a ter medo num determinado ambiente. Um dos grupos foi sujeito a exercício físico intenso, que aumenta a neurogénese – ou seja, a renovação dos neurónios. O outro grupo não teve estímulos adicionais.

No final, o primeiro grupo teve um resultado curioso: perdeu o medo rapidamente – leia-se, a memória do que aconteceu. Os especialistas acreditam que isso compara com o comportamento do cérebro da criança: como o seu desenvolvimento é mais acelerado, a memória perde-se também de forma mais acelerada.