Giorgio Armani completou esta sexta-feira 80 anos, mas a reforma ainda não faz parte dos planos de vida. Este “dinossauro” do mundo da moda é dono da marca mais valiosa do mundo, segundo El Pais, mas os seus interesses vão além do mundo da moda. O desporto é um dos eleitos.

Tem desenhado roupa para famosos, como o treinador de futebol Pepe Guardiola e a equipa do Bayern de Munique, na Alemanha, mas não só. Também é da autoria de Armani as fardas das forças policiais e uniformes para os taxistas milaneses, refere The Guardian. Já foi o designer responsável do Chelsea Football Club, em Inglaterra, e tem a cargo a indumentária dos atletas ligados ao Comité Olímpico Italiano.

Mas a paixão de Armani pelo desporto vai ainda mais longe. Salvou da falência a equipa de basquetebol Olimpia Milano, que agora adota o nome do patrocinador e único dono desde 2008 – EA7 Emporio Armani Olimpia Milano. No ano em que completa 80 anos, a equipa ofereceu-lhe o melhor presente: venceu a liga de basquetebol italiana – coisa que não acontecia há 18 anos.

Aos 80 anos, tem ainda o sonho de abrir um museu em seu nome em Milão, à semelhança de Gucci (em Florença) e Valentino (que tenciona abrir em Roma).

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O interesse pela anatomia e pelas formas do corpo humano, desde muito cedo, levaram-no a estudar medicina. Curso que não chegou a acabar porque teve de cumprir o serviço militar obrigatório, lê-se no site Biography. O seu primeiro contacto com a moda foi nesse período, quando teve de licença 20 dias em Milão e um amigo lhe arranjou trabalho numa loja. “Comecei por ajudar o fotógrafo, projetando as janelas e as coisas”, disse Armani à revista Time.

O quinto mais rico em Itália, tornou-se conhecido pelos fatos masculinos, sobretudo quando se tornaram populares nos Estados Unidos nos anos 1980. Agora a marca Armani inclui maquilhagem, utensílios domésticos, livros, hóteis e restaurantes.