Um hospital de Sacramento, no estado norte-americano da Califórnia, anunciou, esta terça-feira, ter colocado um paciente em isolamento por apresentar sintomas semelhantes ao do Ébola.

Em comunicado, o médico Stephen Parodi, especialista em doenças infeciosas do Centro Médico Kaiser Permanente do Sul de Sacramento, explicou que os médicos do hospital estão a trabalhar com as autoridades do condado de Sacramento com vista a seguir as medidas adequadas para lidar com o caso.

O paciente foi isolado num quarto “especialmente equipado” e o pessoal de saúde que lhe prestará assistência “especialmente instruído no uso de equipamento de proteção”.

Os Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC, siglas em inglês) — do Departamento de Saúde dos Estados Unidos — vão analisar amostras de sangue recolhidas do paciente para determinar a presença ou a ausência do vírus, cujos resultados devem ser divulgados dentro de dias.

Vários pacientes foram ou estão a ser submetidos a análises nos Estados Unidos face à possibilidade de terem sido infetados.

Não existe tratamento nem vacina, um cenário que faz do Ébola um dos mais mortais e contagiosos vírus para os seres humanos.

O Ébola tem fustigado o continente africano regularmente desde 1976, sendo o atual surto o mais grave desde então, com 1.229 mortos.

Desde o início deste surto, em março, já foram registados 2.240 casos de infeção, o que levou a OMS a decretar, no dia 08 de agosto, o estado de emergência de saúde pública mundial.

Uma série de países da África ocidental já declararam também o estado de emergência e várias fronteiras foram encerradas.