O movimento de mercadorias recuou 0,7% no segundo trimestre, fixando-se em 20,4 milhões de toneladas, interrompendo o crescimento que se verificava desde o início de 2013, segundo as estatísticas de transportes divulgadas esta terça-feira pelo INE.

O decréscimo resultou em larga medida, justifica o INE, da “diminuição de 14,5% no movimento de granel líquido (35,3% do total de carga movimentada no segundo trimestre de 2014, face a 41% no segundo trimestre de 2013).

O número de embarcações entradas nos portos nacionais diminuiu 3,5%, contrastando com os trimestres anteriores, para 3.680 embarcações.

A redução da carga movimentada ocorreu sobretudo nos portos de Sines (-8,2%) e Lisboa (-7,3%), enquanto Setúbal, Aveiro e Figueira da Foz registaram subidas.

O tráfego internacional de mercadorias ascendeu a 17,6 milhões de toneladas, correspondente a um aumento de 1,4%, enquanto o tráfego nacional diminuiu 12,3%, totalizando 2,8 milhões de toneladas.

O peso das mercadorias movimentadas por veículos pesados de matrícula nacional também diminuiu no segundo trimestre de 2014 (-2,7%), contrariando a tendência crescente que se verificava desde o segundo trimestre de 2013.

O transporte de mercadorias por ferrovia atingiu 2,5 milhões de toneladas, apresentando um crescimento de 8,6% (20,3% no trimestre anterior).