A Linha de Saúde 24 recebeu neste domingo já 90 pedidos de informação de doentes sobre a Legionella, tendo registado cerca de 130 telefonemas por dia, na sexta-feira e sábado, com dúvidas sobre esta bactéria. Em declarações à Lusa, o coordenador da linha de saúde na Direção Geral de Saúde, Sérgio Gomes, disse que “desde anteontem [sexta-feira], recebemos na casa das 130 chamadas por dia para efeitos de informação sobre a Legionella, ou seja, pessoas que querem informações” sobre este tema.

Este domingo, até à hora de almoço, acrescentou o responsável, a linha de saúde já recebeu cerca de 90 chamadas com mais pedidos de informação, não só das pessoas da área de Vila Franca de Xira, mas também “de casos esporádicos, como um telefonema recebido de Guimarães a perguntar se podia ir à piscina”. Segundo Sérgio Gomes, a equipa de enfermeiros que atende as chamadas na linha de saúde não foi reforçada: “A triagem mantém-se igual, o que aumentámos foi as informações de saúde pública”, especificou o responsável à Lusa.

Esta linha de saúde recebe cerca de 2 mil telefonemas por dia, não tendo registo de qualquer telefonema sobre a Legionella até à última quinta-feira, um dia antes do início do surto na zona de Vila Franca de Xira. O Hospital de Vila Franca Xira começou na sexta-feira a receber doentes contaminados com a bactéria Legionella, três morreram na sequência desta infeção.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, disse no sábado que foi acionado um plano de contingência para lidar com o surto de Legionella, enquanto o Diretor geral da Saúde já havia admitido que o surto verificado “é um problema que não é habitual” dada “a magnitude e gravidade”. A bactéria Legionella é responsável pela Doença dos Legionários, uma pneumonia grave, cuja infeção se transmite por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada.