“Metes a minha mulher ao barulho e podes ter a certeza que vais parar ao hospital”, foi assim que começaram as ameaças que António Albuquerque fez a um jornalista do Diário Económico e que levaram Filipe Alves a apresentar uma queixa contra o marido da ministra das Finanças.

As mensagens, confirmadas por António Albuquerque à revista Sábado, começaram depois de um artigo de opinião do jornalista com o título “O que acontece se o Novo Banco for vendido com prejuízo?”. No artigo, Filipe Alves admitia a possibilidade de os portugueses virem a pagar a decisão de resolução do BES, uma hipótese na altura não admitida pelo Governo nem pela própria ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.

Na sequência do artigo, o marido da ministra terá enviado a mensagens a ameaçar o jornalista que, num primeiro momento sem saber de quem se tratava, respondeu de forma irónica. Mas mais tarde, sabendo tratar-se de António Albuquerque, respondeu dizendo que iria dar conhecimento da situação à direção do jornal. Foi aí que António Albuquerque estendeu os insultos ao diretor do jornal, António Costa.

Depois de a troca de mensagens ter continuado e de António Albuquerque não ter pedido desculpa, Filipe Alves entregou esta terça-feira uma queixa no Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa por injúrias e ameaças.

António Albuquerque confirmou à revista ter sido ele o autor das mensagens dizendo que nunca irá pedir desculpas “a supostos jornalistas, que não o são, e que se movem para defender interesses económicos”. Isto porque, Albuquerque trabalhou no Diário Económico e diz ter problemas pessoais para resolver com o ex-colega.

Ao Observador, um ex-jornalista do jornal, que é testemunha no processo, contou que não foi a primeira vez que o marido da ministra se dirigiu a jornalistas e que também ele recebeu um email de António Albuquerque. Filipe Garcia, que entretanto saiu do Diário, escreveu em 2013 um artigo sobre as poupanças dos ministros depois de, durante uma audição no Parlamento, Maria Luís Albuquerque ter dito que não tinha poupanças. No artigo, o jornalista dizia que a responsável pela pasta das Finanças realmente, não tinha poupanças e na sequência disto recebeu um email de António Albuquerque a dizer que ele tinha colocado em causa o bom nome da família e acrescenta: “Terminava o email com uma boca muito ordinária”. No entanto, “não me ameaçou”. O jornalista acrescenta, no entanto, que “nunca vi que [António Albuquerque] fosse alvo de qualquer perseguição ou de preconceito por parte da direção”.

O marido da ministra foi jornalista do DE onde foi editor-executivo e editor dos projetos especiais. Acabou por sair do jornal e semanas depois, em 2013, soube-se que ia para a EDP, mas não chegou a aquecer lugar. Saiu da EDP depois da sua contratação ter sido tornada pública e agora, de acordo com a mesma revista, está no grupo Soico, um grupo de comunicação moçambicano.