O Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa e o Centro de Malária e Outras Doenças Tropicais organizam este sábado, dia 29 de novembro, um workshop dedicado à Medicina do Viajante. O evento, que terá lugar na Aula Magna do instituto, contará com a presença de especialistas nacionais e internacionais.

Sempre que pretender viajar para fora da Europa é aconselhável que faça uma consulta de saúde do viajante para saber como se deve prevenir contra doenças infecciosas e tropicais – vacinação e medicação preventiva, cuidados a ter com a água e alimentos que se ingerem, higiene individual. Uma das principais dificuldades deste tipo de consultas é “sensibilizar o viajante”, diz ao Observador Jorge Atouguia, presidente da comissão organizadora do evento. “Esta é a única medicina individual em que as pessoas não estão doentes. E se não se conseguir sensibilizar o viajante para as medidas preventivas ele não as vai cumprir.”

O evento tem como objetivo a partilha de conhecimentos e práticas entre especialistas. “É fundamental consolidar conhecimentos e funcionar em sintonia”, diz Jorge Atouguia. A recolha de perspetivas entre os participantes, mediante televoto, permitirá arranjar práticas consensuais em relação às duas doenças mais frequentes – malária e diarreia -, refere o especialista em doenças infecciosas e medicina tropical. Outra das ambições deste tipo de encontros que decorre anualmente é criar a Sociedade Portuguesa da Medicina do Viajante, para que se possa regulamentar cientificamente os vários aspetos desta prática.

As inscrições ainda se encontram abertas na página da instituição.