Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Chama-se guayabera e é uma camisa que é usada na América Central como traje de cerimónia e um acessório de protocolo para reuniões de líderes, num clima não muito propício à utilização de fatos e gravatas. Os chefes de Estado e Governo reunidos em Veracruz no México na cimeira Ibero-Americana alinharam na tradição local e vestiram (quase) todos a camisola, incluindo o primeiro-ministro Passos Coelho e o Presidente da República, Cavaco Silva.

Parece uma vestimenta mais descontraída e é, mas não deixa de ser usada em cerimónias de protocolo e preferida pelos líderes da América Central para longas reuniões. Feita de linho, com cor branca e dois bolsos a nível da cintura, está durante esta semana a ser utilizada por personalidades com o rei Felipe VI e por Cavaco Silva. Para respeitar a tradição local, a maioria dos líderes europeus e da América do Sul, reunidos na Cimeira Ibero-Americana alinharam neste dress code.

Apenas dois líderes preferiram manter o fato, nomeadamente os presidentes de Uruguai, José Mujica, Otto Pérez Molina, da Guatemala e Horacio Cartes, governante do Paraguai, que optou por uma gravata amarela com fato escuro. Outros arranjaram maneiras criativas de participar como Michelle Bachelet, presidente do Chile, que usou um vestido e casaco de cor bege.

Já Mariano Rajoy ficou divido entre abraçar a tendência ou vestir-se como habitualmente, aparecendo na parte da manhã com fato e na parte da tarde envergando a guayabera. Aparentemente, o primeiro-ministro espanhol resistiu até ao fim, mas o seu chefe de gabinete lá lhe explicou que a maior parte dos líderes alinhava no uso da camisa tradicional, segundo adianta o jornal espanhol ABC.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR