O rublo caiu 12% face ao dólar esta terça-feira, batendo mínimos históricos. É a queda mais abrupta num só dia desde a crise financeira de 1998, quando a Rússia entrou em incumprimento. Nem a decisão do Banco Central de aumentar as taxas de juro de 10,5% para 17% impediu a desvalorização, segundo a Reuters.

Não por muito tempo, pelo menos. A medida excecional que quis restaurar a confiança na moeda russa começou por provocar uma valorização de 10%, mas horas depois o rublo continuou em queda. Na verdade, desde o aumento das taxas de juro, o rublo passou a valer menos 3,6%, segundo o Guardian. Esta semana, as perdas já vão em 20%, atingindo 86,8 rublos por euro e 69,4 rublos por dólar. No ano de 2014, a moeda desvalorizou-se 50% face ao dólar.

Esta desvalorização do rublo explica-se pelas sanções impostas pelo Ocidente à Rússia, depois da crise na Ucrânia, e pela queda dos preços do petróleo. As receitas com o petróleo e o gás natural financiam cerca de metade do orçamento estatal, escreve a Reuters. A forte queda dos últimos dois dias também pode ser atribuída a um declínio da confiança no Banco Central.

Analistas citados pela Reuters dizem que a Rússia pode estar à beira de uma grave crise cambial. O governador do Banco Central russo, Sergei Shvetsov, disse que vão ser postas em prática mais medidas para estabilizar o mercado cambial, mas disse que a situação é “crítica”.

Com a descida continuada dos preços do petróleo, a situação não parece favorável. “O banco central vai ter dificuldade em estabilizar o rublo enquanto a queda abrupta do preço do petróleo continuar”, disse Vladimir Miklashevsky, um economista do Danske Bank, à agência noticiosa. Esta terça-feira, o preço do barril de Brent, petróleo do Mar do Norte cuja cotação é uma das referências global, caiu abaixo dos 60 dólares, o que acontece pela primeira vez desde julho de 2009.

Entretanto, o Governo russo já reviu em baixa as suas previsões de crescimento, – o país esperava crescer 1,2% no próximo ano – antevendo que a economia possa entrar em recessão no início do próximo ano, contraindo-se 0,8%. A Bloomberg escreve que a empresa norte-americana Apple já suspendeu as vendas online no mercado russo devido às flutuações do rublo.