Boyhood” foi o grande vencedor nas categorias de cinema dos Globos de Ouro, na madrugada de domingo, ao arrecadar três prémios na 72.ª edição da gala, na qual “Birdman” e “The Theory of Everything” (“A Teoria de Tudo”) conseguiram dois galardões cada um. Veja aqui a crítica de Eurico de Barros no Observador.

O prémio de melhor realizador foi para Richard Linklater, pelo filme “Boyhood”: Momentos de uma vida”, que estava nomeado em cinco categorias. Richard Linklater destronou, além do realizador mexicano Alejandro González Iñárritu (“Birdman”), Wes Anderson (“Grand Budapest Hotel”), Ava Duvernay” (“Selma”), e David Fincher (“Em parte incerta”).

Eddie Redmayne arrecadou o prémio de melhor ator de drama em “The Theory of Everything (A Teoria de Tudo), enquanto Julianne Moore o de melhor atriz drama em “Still Alice” (O Meu Nome é Alice), pelo desempenho do papel de uma mulher com a doença de Alzheimer.

Michael Keaton recebeu o prémio de melhor ator de comédia ou musical pelo papel no filme “Birdman” (ou a inesperada virtude da ignorância), que estava nomeado em sete categorias. Já Amy Adams foi distinguida como melhor atriz de comédia, por “Big Eyes”.

“The Affair”, “Fargo” e “Transparent”, com dois galardões cada um, repartiram a glória nas categorias de televisão da 72.ª edição dos globos de Ouro. “The Affair” conseguiu, na reta final da cerimónia, os troféus de melhor série dramática e o de melhor atriz para Ruth Wilson. George Clooney foi agraciado com o prémio Cecil B. DeMille, que reconhece uma contribuição destacada para o mundo do entretenimento. Clooney agradeceu a simpatia da imprensa internacional e deixou duas mensagens importantes: “Je suis Charlie” e uma declaração de amor para a mulher, Amal Clooney. Vale a pena ver o vídeo.

https://www.youtube.com/watch?v=7QEFV0YQwnA

Os Globos de Ouro, prémios do cinema e da televisão atribuídos pela associação de imprensa estrangeira, são vistos habitualmente como uma antecâmara dos Óscares, cujos nomeados vão ser anunciados na próxima quinta-feira. Veja aqui um Especial do Observador sobre a “Idade de Ouro” da televisão.

Uma homenagem aos que morreram em Paris

A cerimónia da entrega dos prémios Globos de Ouro arrancou esta noite com uma demonstração de solidariedade para com as vítimas dos atentados de Paris e um pedido de apoio à liberdade de expressão. As comediantes Tina Fey e Amy Poehler abriram as três horas da entrega dos Globos de Ouro — os prémios mais importantes da sétima arte nos EUA depois dos Óscares — com um monólogo cómico sobre o recente ataque informático à Sony Pictures, que envolveu o filme “The Interview”, uma sátira sobre uma conspiração para matar o líder da Coreia do Norte.

“Hoje celebramos todos os filmes e programas de televisão aprovados pela Coreia do Norte”, ironizou o duo. A cerimónia ganhou um tom mais sério quando o líder da associação de imprensa estrangeira em Hollywood, que entrega os Globos de Ouro, fez levantar a audiência numa ovação de pé com um pedido de apoio à liberdade de expressão depois do ataque à Sony Pictures e dos atentados em França.

“Juntos vamos ficar unidos contra todos os que querem reprimir a liberdade de imprensa, em qualquer lugar, desde a Coreia do Norte a Paris, disse Theo Kingma. Na passadeira vermelha, várias estrelas como George Clooney, Helen Mirren e Kathy Bates desfilaram com objetos, incluindo cartazes e crachás, com a inscrição “Je Suis Charlie”, o ‘slogan’ adotado por manifestantes e apoiantes da liberdade de expressão depois do ataque ao jornal satírico francês Charlie Hebdo na semana passada.

Pelo menos 3,7 milhões de pessoas manifestaram-se no domingo em França contra o terrorismo na sequência dos atentados ocorridos em Paris, segundo o Ministério do Interior francês. Em todo o mundo, inclusive em Lisboa, foram organizadas concentrações e marchas de apoio com o mesmo objetivo.

Desde quarta-feira, registaram-se três incidentes violentos na capital francesa, incluindo um sequestro, que, no total, fizeram 20 mortos e começaram com o ataque ao Charlie Hebdo.

Depois de dois dias em fuga, os dois suspeitos do ataque, os irmãos Said Kouachi e Cherif Kouachi, de 32 e 34 anos, foram mortos na sexta-feira, na sequência do ataque de forças de elite francesas a uma gráfica, em Dammartin-en-Goële, nos arredores da cidade, onde se tinham barricado.

Na quinta-feira, foi morta uma agente da polícia municipal, a sul de Paris, tendo a polícia estabelecido “uma ligação” entre os dois jihadistas suspeitos do atentado ao Charlie Hebdo e o presumível assassino.

Lista dos vencedores dos prémios Globos de Ouro de 2014, entregues na noite de domingo, no hotel Beverly Hilton, em Los Angeles:

Cinema

Melhor drama: “Boyhood”

Melhor comédia/musical: “Grand Budapest Hotel”

Melhor realizador: Richard Linklater, “Boyhood”

Melhor ator de drama: Eddie Redmayne, “The Theory of Everything” (“A Teoria de Tudo”

Melhor atriz de drama: Julianne Moore, “Still Alice” (“O meu nome é Alice”

Melhor ator de comédia/musical: Michael Keaton, “Birdman”

Melhor atriz de comédia/musical: Amy Adams, “Big Eyes”

Melhor ator secundário: J.K. Simmons, “Whiplash”

Melhor atriz secundária: Patricia Arquette, “Boyhood”

Melhor filme estrangeiro: “Leviathan” (Rússia)

Melhor filme de animação: “How to Train Your Dragon 2”

Melhor argumento: “Birdman”

Melhor banda sonora: “The Theory of Everything” (“A Teoria de Tudo”)

Melhor música original: “Selma”

Televisão:

Melhor série dramática: “The Affair”

Melhor ator de drama: Kevin Spacey, “House of Cards”

Melhor atriz de drama: Ruth Wilson, “The Affair”

Melhor série de comédia: “Transparent” (Amazon)

Melhor ator de comédia ou musical: Jeffrey Tambor, “Transparent”

Melhor atriz de comédia ou musical: Gina Rodríguez, “Jane The Virgin”

Melhor minissérie/telefilme: “Fargo” (FX)

Melhor ator de minissérie/telefilme: Billy Bob Thornton, “Fargo”

Melhor atriz de /minissérie/telefilme: Maggie Gyllenhaal, “The Honorable Woman”

Melhor ator secundário de série/minissérie/telefilme: Matt Bomer, “The Normal Heart”

Melhor atriz secundária de série/minissérie/telefilme: Joanne Froggatt, “Downton Abbey”)

Prémio Carreira Cecil B. DeMille: George Clooney