Portugal vai participar na Feira Internacional de Turismo de Madrid, que arranca na quarta-feira, para atualizar a imagem do país aos olhos dos espanhóis, que representam um em cada seis dos turistas que visitam o país.

“O stand de Portugal na FITUR será um espaço bastante apelativo e aberto, com o tema ‘Partilha e celebração de bons momentos’. Mostrará várias experiências, das várias áreas do país, para dar uma imagem de Portugal como um país heterogéneo, mas moderno. Ou seja, queremos atualizar um pouco a imagem que os espanhóis têm de Portugal”, explicou, em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes.

O secretário de Estado integrará uma comitiva liderada pelo ministro da Economia, António Pires de Lima, que no primeiro dia da feira – um dos maiores eventos do género na Europa que se prolonga até 01 de fevereiro – inaugurará o stand português.

O espaço de Portugal na FITUR será o maior da área Europa, com 751 metros quadrados. Mostrará reproduções de painéis de arte-urbana de artistas como Vhils e contará com um bar para degustações de vinhos e produtos portugueses.

Numa das paredes do stand será grafitada, ao vivo, a palavra “celebración” e os visitantes poderão ainda usar uma máquina, a “Selfiematon”, para tirar uma ‘selfie’ com Portugal em imagem de fundo, partilhando-a depois nas redes sociais.

Para homenagear a recente coroação do rei de Espanha, o artista norte-americano Scott Gundersen foi convidado para produzir no stand – no decorrer da FITUR – um retrato usando mais de 30 mil rolhas de cortiça.

Espanha tem vindo a crescer de importância como mercado fornecedor do turismo em Portugal.

Até novembro de 2014, revelou Adolfo Mesquita Nunes à Lusa, “Espanha deu a Portugal 1,353 milhões de hóspedes, num total de nove milhões de hóspedes” de todas as nacionalidades.

Ou seja, “os turistas espanhóis representam 15 por cento de todos os hóspedes que Portugal recebe, bem como 10 por cento das dormidas [a percentagem diminui pelo efeito do turismo de fim-de-semana]”, explicou o secretário de Estado.

Adolfo Mesquita Nunes referiu que esse aumento resultou, em parte, da “aposta intensa que Portugal tem feito junto dos meios de comunicação social” de Espanha.

“Juntamente com as agências de turismo regionais, trouxemos a imprensa espanhola a Portugal com uma grande intensidade. Para mostrar aos espanhóis as experiências que se vivem em Portugal. Penso que essa aposta tem sido uma aposta ganha”, realçou.

O governante explicou que o fluxo de turistas espanhóis tem “ajudado as regiões portuguesas que têm mais dificuldade de captação de estrangeiros” e que “ajuda também a atenuar o problema da sazonalidade”.

Tanto Portugal como Espanha tiveram em 2014 (no caso português só há números até novembro) o melhor ano de turismo de sempre.

“De facto, 2014 foi o melhor ano do turismo em Portugal, mas a responsabilidade desse crescimento assenta essencialmente nas empresas do setor. O nosso objetivo para 2015 é continuar a ganhar quota de mercado, continuar a subir as receitas por turista – para qualificar ainda mais o nosso destino – e permitir um aumento mais substancial dos proveitos das empresas”, concluiu Adolfo Mesquita Nunes.