Mais de mil cidadãos muçulmanos fizeram, neste sábado, um cordão humano em redor uma sinagoga em Oslo, numa iniciativa que teve como objetivo oferecer proteção simbólica aos judeus da capital da Noruega, informou a Reuters. A ação surgiu na sequência do ataque a um templo judaico na Dinamarca que ocorreu no fim de semana passado, atentado que mereceu a condenação dos organizadores do evento.

Os participantes utilizaram palavras de ordem como “não ao antissemitismo, não à islamofobia” naquilo que qualificaram como um “anel de paz”, depois de Omar Abdel Hamid El-Hussein, dinamarquês de ascendência palestiniana, ter assassinado duas pessoas numa sinagoga localizada em Copenhaga, onde decorria uma sessão destinada a promover a liberdade de expressão. “A Humanidade é só uma e nós estamos aqui para provar isso”, afirmou Zeeshan Abdullah, foram as palavras dirigidas por um dos manifestantes à multidão que se reuniu junto à única sinagoga existente em Oslo.

Organizadores e líderes da comunidade judaica, que é uma das mais pequenas da Europa com cerca de mil membros, estiveram lado a lado. O número de muçulmanos no país tem crescido a um ritmo elevado, através da imigração, e deverá totalizar, atualmente, entre 150 a 200 mil elementos, numa população total de de 5,2 milhões de pessoas, refere a agência.