LISBOA

Adega da Tia Matilde – Conta o senhor Emílio, responsável por um dos destinos mais frequentes dos apreciadores do bicho, que a lampreia que ali se serve todos os dias, nesta época, vem de Lanhelas e de Vila Nova de Cerveira. Fazem-na de duas formas: em arroz ou à bordalesa, que, é como quem diz, à maneira de Bordéus, num guisado feito com vinho da região (regra que nem sempre é respeitada por todas as casas).
Rua da Beneficiência, 77 (Entrecampos), Lisboa. 21 797 2172.

Retiro do Chefe Costa – Há lampreia – em arroz ou à bordalesa, conforme o cliente quiser – todas as quintas-feiras neste que é um dos mais genuínos restaurantes minhotos da capital. A dose está a custar 36€ nesta altura, mas traz dez bocados e chega bem para duas pessoas. Por ali a lampreia faz-se até finais de abril, altura em que começa a desovar e a “pirar-se”, como diz o Chefe Costa, do Rio Minho, de onde chega todas as semanas.
Estrada do Alvito, 12 (Alcântara), Lisboa. 21 363 7914.

Solar dos Presuntos – No clássico conhecido pela “alta cozinha de Monção”, como anuncia o célebre néon à porta, a lampreia minhota é presença fixa no menu por estes dias. O arroz é a opção mais natural, mas também a fazem à bordalesa e de escabeche. O preço vai variando: no início da época costuma ser mais cara, mas conforme vai havendo mais matéria-prima, o preço, naturalmente, desce. Atualmente, a dose de arroz está em 26€.
Rua Portas de Santo Antão, 150 (Rossio), Lisboa. 21 342 4253.

A lampreia de escabeche do Solar dos Presuntos.

A lampreia de escabeche do Solar dos Presuntos.

Cimas – Na zona do Estoril e Cascais, esta espécie de chalet com vista para a Marginal é outro dos locais onde o bicho é tratado a preceito. A dose, quatro grandes pedaços, custa 44€ de momento. A lampreia é feita à vontade do cliente, seja à minhota, à bordalesa, com arroz incluído ou à parte. Outra iguaria a experimentar aqui: a mítica galinhola à English Bar.
Avenida Marginal, Estoril. 21 468 1254.

As Colunas – Numa casa conhecida pela vasta garrafeira e pelas carnes exóticas (serve camelo, zebra ou crocodilo, por exemplo), a lampreia faz-se de todas as maneiras: em arroz, à bordalesa, em escabeche ou até assada no forno. “É como o cliente quiser, ela está temperada, é só fazer”, asseguram os responsáveis. A dose está a custar 22,50€ neste momento mas, dizem, vai baixar daqui a uma ou duas semanas.
Rua Elias Garcia, 51C, Amadora. 21 499 0660.

 

PORTO

Casa Nanda – Quem gosta de cozinha típica portuguesa feita com boa mão conhecerá, por certo, este clássico do Porto, o único sítio da cidade onde muitas avós cozinheiras aceitam ir almoçar ou jantar fora. Sobre ele disse o New York Times: cozinha genuína num restaurante familiar à moda antiga. E a descrição assenta-lhe bem. A lampreia minhota tem presença garantida na ementa desde janeiro, em arroz ou à bordalesa. Atualmente, custa 24€.
Rua da Alegria, 394, Porto. 22 537 0575

lampreia casa nanda

Outro exemplo de lampreia de escabeche, desta vez da Casa Nanda.

O Gaveto – É conhecido pela qualidade do peixe e nem podia ser de outra forma: fica numa rua paralela à lota de Matosinhos. Aqui, pode conferir em primeira mão a frescura das lampreias minhotas, coladas à parede de um dos aquários. Fazem-nas de janeiro a maio, principalmente à bordalesa (30€ a dose) – em arroz só por encomenda. O serviço é sempre cuidado e à moda antiga, no melhor sentido da expressão. Para acompanhar, tem muitos e bons vinhos por onde escolher.
Rua Roberto Ivens, 826, Matosinhos. 22 937 8796.

Adega São Nicolau – Se quiser ir ao clássico da Ribeira provar a lampreia convém reservar: está frio na (bonita) esplanada e os lugares interiores não são assim tantos. De resto, conte com uma dose bem executada – à bordalesa – e bem servida, já que o dono e cozinheiro, António Coelho, não tem por hábito deixar os seus créditos por mãos alheias. Neste momento o preço é 18€, com tendência para baixar conforme a época for avançando.
Rua de São Nicolau, 1, Porto. 22 200 8232.

sr coelho adnicolau

O senhor Coelho, da Adega São Nicolau, em pleno processo de preparação da lampreia.

Casa Lindo – Vale a viagem até Valbom, nas margens do Douro, nem que seja só para provar a açorda de lampreia, uma das entradas servidas nesta época, difícil de encontrar noutros restaurantes. O serviço na sala nem sempre prima pela simpatia mas a competência da cozinha compensa. A dose de lampreia à bordalesa, ou de arroz do bicho vale 25€, e traz três postas generosas.
Travessa Convenção de Gramido 26, Valbom, Porto. 22 483 0200

Rogério do Redondo – Foi aqui que Anthony Bourdain (ainda com brinco na orelha, como se pode ver em baixo) se debateu com uma enorme cabeça de pescada cozida na primeira edição de No Reservations. Se lá fosse este mês era provável que lhe dessem a provar da lampreia, em arroz ou à bordalesa. Não a têm todos os dias, mas quase sempre. Se não a apanhar, fique-se pelos chispes, tripas ou bacalhaus. Não se arrependerá.
Rua Joaquim António de Aguiar 19, Porto. 22 537 9533.

Uma alternativa a todas estas sugestões pode ser a Rota da Lampreia da CP, que percorre a linha da Beira Baixa com paragens na Barragem de Belver, onde se encontra o restaurante A Lena, especializado na matéria, e em Ródão, nos restaurantes Ponte do Enxarrique e Estalagem Portas de Ródão. As partidas fazem-se de Lisboa (em direcção a Ródão) ou da Covilhã (em direcção a Belver).