A feira de arte ARCO Madrid 2015, este ano dedicada à Colômbia, abre hoje com a participação de 218 galerias de 29 países, entre eles Portugal, com 12 galerias representadas.

Além das dez galerias provenientes da Colômbia, nesta 34.ª edição, que decorre até 01 de março, estarão representados países da mesma região como a Argentina, o Chile, Porto Rico e Guatemala.

De acordo com a organização, as galerias estrangeiras constituem 71 por cento do total, que participam no programa geral, ao qual acresce a ArcoColombia, com as galerias do país convidado, e ainda o programa Opening e SoloProjects.

De Portugal vão estar presentes, de Lisboa, a 3+1 Arte Contemporânea, a Galeria Baginski Projetos, a Carlos Carvalho – Arte Contemporânea, a Galeria Cristina Guerra, a Galeria Filomena Soares, a Galeria Graça Brandão, a Galeria Murias Centeno, Galeria Pedro Cera e a Galeria Vera Cortés.

Do Porto, estarão a Galeria Quadrado Azul e a Kubik (na secção Opening), e ainda, de Braga, a Galeria Mário Sequeira.

Pelo quarto ano consecutivo, será realizado o Encontro de Museus da Europa e da Iberoamérica, durante os dias da feira internacional de arte contemporânea.

Este encontro é dirigido pelo curador português João Fernandes, atual subdiretor artístico do Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, de Madrid, e Cuauhtémoc Medina, curador chefe do Museo Universitario Arte Contemporáneo (México).

A Colômbia estará representada por uma dezena de galerias, selecionadas pelo comissário independente Juan A. Gaitán, que apresentará 20 jovens artistas, entre os quais David Peña, Icaro Zorbar, Marcela Cárdenas e Ricardo León.

Em Bogotá existem atualmente 60 galerias de arte, como a Valenzuela Klenner, a La Cometa, a Casas Riegner e a Nueveochenta, e 58 museus, entre os quais o Museu Nacional da Colômbia e o Museu de Arte Contemporânea, uma realidade que a ARCO Madrid pretende ter este ano em foco no certame.