O poeta Fernando Echevarría venceu o prémio literário Casino da Póvoa com a obra “Categorias e outras paisagens”, editada pela Afrontamento, anunciou esta quinta-feira a organização do encontro de escritores de expressão ibérica Correntes d’Escritas.

Nascido a 26 de fevereiro de 1929 (sendo esta quinta-feira o seu aniversário), na localidade espanhola de Cabezón de la Sal, “veio para Portugal ainda muito novo, tendo cursado Humanidades em Portugal e Filosofia e Teologia em Espanha”, de acordo com a biografia disponível na Infopédia, da Porto Editora.

Echevarría, que “escreveu sempre em português, só ocasionalmente nas línguas castelhana e francesa”, já antes recebeu distinções como o grande prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores, o prémio António Ramos Rosa, o prémio Fundação Luís Miguel Nava e o prémio Dom Dinis.

O júri que atribuiu por maioria o grande prémio do 16.º Correntes d’Escritas foi constituído por Afonso Cruz, Almeida Faria, Ana Paula Tavares, Maria Flor Pedroso e Valter Hugo Mãe.

Na declaração de voto do prémio, o júri referiu que o livro de Echevarría “revela um caráter monumental, impressionante pelo seu fôlego”.

Na ata, o júri considerou que a obra “constrói uma poética da lucidez e do rigor”, tratando-se de um “monumento à capacidade de dizer o indizível no limite da palavra”.