A Dejà Lu, uma livraria de caráter solidário, onde a venda de todos os livros reverte para uma causa social – apoio à integração profissional de jovens com trissomia 21 -, é inaugurada hoje, na Cidadela de Cascais.

A abertura da livraria é o lado mais visível de uma iniciativa de Francisca Prieto, que começou a ganhar forma em 2011, com a criação de um blogue para leiloar livros usados, ou seja, já lidos (“dejà lu”), explicou a fundadora à agência Lusa.

Desde a criação do blogue, Francisca Prieto queria envolver-se numa causa que lhe está próxima – tem uma filha com Trissomia 21 -, num espírito de voluntariado e sem qualquer intenção de caridade associada a coisas em segunda mão. O objetivo era angariar verbas para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21.

Depois de ter criação uma associação sem fins lucrativos, para formar a Livraria Solidária Dejà Lu, Francisca Prieto conseguiu um espaço na Cidadela de Cascais, com o apoio da Pousada de Cascais.

A livraria que é hoje inaugurada contará, para já, com cerca de 3.000 livros doados, novos e usados.

Com o leilão de livros, Francisca Prieto já canalizou cerca de 15.000 euros para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21, em particular para um projeto de profissionalização dos jovens e adolescentes, com vista à autonomia e integração na sociedade.

Com a Dejà Lu, o próximo passo de Francisca Prieto é conseguir integrar gradualmente jovens com trissomia 21 a trabalharem na livraria.

O lançamento da livraria é apadrinhado por várias figuras públicas, entre as quais o pianista Mário Laginha, as atrizes Beatriz Batarda e Leonor Silveira, o designer de moda José António Tenente e o humorista Bruno Nogueira.