Os serviços de informação iraquianos revelaram como o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) escondeu, durante meses, bombas dentro de veículos, sem que a polícia iraquiana as conseguisse identificar. Este domingo, foram presos 31 membros do grupo, de acordo com o jornal britânico Telegraph.

Os 31 membros do Estado Islâmico detidos em Bagdad foram responsáveis por dezenas de ataques com bombas, nos último meses.

Fahim al-Atraqchi, porta-voz dos serviços nacionais de informação iraquianos, afirmou ao Telegraph que os membros do grupo terrorista, agora detidos, estavam sob vigilância há seis meses. A operação de detenção dos 31 militantes durou 72 horas.

No contexto desta operação de detenção foi revelado como é que os membros do EI escondiam bombas em veículos para os fazer explodir. Alegadamente, os veículos levavam bebidas alcoólicas nos bancos traseiros, para despistar as suspeitas de que pudessem pertencer a uma organização de extremistas religiosos. Os explosivos eram escondidos dentro de uma caixa do Corão modificada, dentro do veículo. Esta técnica permitiu à organização terrorista de despistar a polícia iraquiana durante meses.

Todos os suspeitos tinham bilhetes de identidade falsificados.