O ex-ministro da Administração Interna Miguel Macedo disse esta quinta-feira que aguarda resposta ao requerimento à Procuradora-Geral da República a pedir para ser ouvido no caso dos vistos ‘gold’, para prestar os esclarecimentos que a procuradoria entenda necessários.

Em declarações aos jornalistas no parlamento, Miguel Macedo adiantou que em finais de novembro do ano passado, quando surgiram notícias que referiam o seu nome no âmbito do caso dos vistos ‘gold’, tomou a iniciativa de enviar um requerimento à Procuradora-Geral da República a pedir para ser ouvido.

“Aguardo serenamente que essa audição possa ocorrer por forma a que esclareça aquilo que entendam que deve ser esclarecido”, afirmou, escusando-se a fazer mais comentários.

Na edição de hoje, o jornal I refere que o Ministério Público aponta o antigo ministro da Administração Interna como “o único responsável político” que tinha uma “direta participação nos factos” apurados na investigação sobre os vistos ‘gold’. Por isso, consideram que tinha as condições necessárias para ter cometido um crime de prevaricação.

No âmbito da Operação Labirinto, relacionada com a aquisição de vistos ´gold´, 11 pessoas foram detidas, incluindo o antigo presidente do Instituto de Registos e Notariados (IRN) António Figueiredo, que se encontra em prisão preventiva.

Em causa estão indícios de corrupção ativa e passiva, recebimento indevido de vantagem, prevaricação, peculato de uso, abuso de poder e tráfico de influência, relacionados com a atribuição de autorizações de residência para a atividade de investimento, vulgarmente conhecidos por vistos ‘gold’.