Dois sismos de magnitude 6,8 foram registados hoje ao largo das Ilhas Salomão, no Pacífico, no terceiro dia consecutivo de abalos sísmicos, anunciou o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), sem que tenham sido emitidos alertas de tsunami.

As primeiras informações não faziam menção a estragos.

Os epicentros dos dois tremores de terra, ocorridos com duas horas de intervalo, foram localizados próximos um do outro, à profundidade de cerca de dez quilómetros e a cerca de 450 -500 quilómetros a sudeste da capital Honiara.

O instituto Geociência Austrália, por sua vez, indicou que os dois sismos registaram magnitudes de 7,1 e 6,9.

É bastante invulgar ocorrerem dois grandes sismos de grande magnitude “um ao lado do outro”, notou o sismólogo Mark Leonerd, embora assinalando que a atividade sísmica é particularmente intensa na região.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As Ilhas Salomão estão situadas no “Anel do Fogo do Pacífico”, uma zona de elevada atividade sísmica e vulcânica, atingida anualmente por aproximadamente 7.000 sismos, a maioria moderados.

É o terceiro dia consecutivo em que as Ilhas Salomão sofrem sismos de magnitude 6 ou superior. Um terramoto de magnitude 6 tinha sido registado na sexta-feira e outro de magnitude 6,9 no dia anterior.

Estes tremores de terra não causaram estragos de grande dimensão.

Em 2013, um sismo de magnitude 8 causou dez mortos e destruiu centenas de casas nas ilhas Salomão.